Cannabis

Pesquisa mostra aumento nos casos de pets intoxicados por maconha

Os sintomas mais comuns nos animais são letargia, desorientação, incontinência urinária, ataxia e hiperostose

Helena Dornelas*
postado em 20/04/2022 17:48 / atualizado em 20/04/2022 17:49
 (crédito: FABIO RODRIGUES-POZZEBOM/ABR        )
(crédito: FABIO RODRIGUES-POZZEBOM/ABR )

Uma pesquisa feita por veterinários nos Estados Unidos e no Canadá mostrou que os usuários de cannabis devem ficar atentos para não deixar animais de estimação consumirem os produtos. Nos dois países existem produtos feitos de cannabis especialmente para pets, mas o consumo (acidental ou proposital) de maconha está causando intoxicação nos animais, o que leva a uma série de doenças, como letargia, desorientação, incontinência urinária, ataxia e hiperostose. 

Richard Quansah Amissah do Colégio Veterinário de Ontário da Universidade de Guelph em Ontário, Canadá, e colegas apresentaram as descobertas na revista Plos One, publicada em 20 de abril de 2022. O estudo encontrou uma relação sobre o númerode portadores de cartões médicos de maconha registrados e casos de toxicidade de maconha em cães, com um aumento de 4 vezes nos casos relatados entre 2005 e 2010.

Com as mudanças na legislação da cannabis na América do Norte, o uso da maconha de forma recreativa se tornou objeto de consideráveis discussões sobre saúde e políticas públicas. As vendas de produtos de cannabis para animais de estimação no Canadá aumentaram em 1000% entre 2016 e 2017.

A pesquisa da Universidade de Guelph aborda temas como sintomas, tratamentos e resultados desses casos. A maioria dos animais expostos à cannabis são pela ingestão, os animais podem apresentar sintomas de intoxicação pela planta, também conhecido como toxicose induzida pela cannabis, com diferentes graus de seriedade.

Enquanto evidências anteriores sugerem que os casos de envenenamento por cannabis entre animais de estimação estão aumentando, a magnitude real do problema, incluindo resultados sobre o nível de envenenamento nos animais de estimação, não tem sido clara.

Durante a pesquisa foram analisados dados de 251 veterinários sediados no Canadá ou nos EUA em 2021. A análise estatística das respostas da pesquisa mostrou que o número de casos de intoxicação por maconha saltou significativamente nos dois países após a legalização da maconha no Canadá, em 2018.

A ingestão de comestíveis de maconha foi a causa mais frequente de envenenamento, mas a pesquisa não deixou claro qual a proporção de intoxicação por produtos de cannabis obtida para consumo humano versus consumo medicinal. A intoxicação foi mais frequentemente vista em cães, mas também foram relatados casos em gatos, iguanas, furões, cavalos e cacatuas.

Embora vários fatores possam explicar este aparente aumento nos casos de toxicidade da maconha, o aumento da disponibilidade de produtos de maconha para humanos é provavelmente um fator importante, já que a maioria das toxicidades relatadas resultaram de exposições inadvertidas. Outro fator que pode ter contribuído para o aumento é a falta de supervisão veterinária sobre o uso medicinal da cannabis para animais, já que muitos proprietários de animais de estimação tentam auto-medicar seus animais com esses produtos.

A pesquisa concluiu que a maioria das toxicoses da maconha em animais resultou em sinais clínicos leves a moderados, sendo os mais comumente: letargia, desorientação, incontinência urinária, ataxia e hiperostose. Eles foram tratados em ambulatórios, e quase todos os animais foram relatados como tendo se recuperado completamente.

*Estagiária sob supervisão de Pedro Grigori

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE