PESQUISA

Legalização da maconha é associada à redução do preço de seguro de carros

Cidades nos Estados Unidos que tiveram a legalização do uso da maconha medicinal apresentaram redução nos valores dos seguros e maior qualidade do transito

Helena Dornelas*
postado em 21/06/2022 18:31 / atualizado em 21/06/2022 18:31
Os pesquisadores explicaram que a estimativa é de que a  legalização da maconha medicinal reduza os prêmios (valores) anuais de seguro  -  (crédito: Esteban Lopez/Divulgação)
Os pesquisadores explicaram que a estimativa é de que a legalização da maconha medicinal reduza os prêmios (valores) anuais de seguro - (crédito: Esteban Lopez/Divulgação)

A legalização da maconha está associada à redução do valor dos seguros de carro e melhorias na segurança geral do tráfego, de acordo com dados do estudo feito por economistas da Universidade de Temple e da Universidade do Arkansas, nos Estados Unidos.

Os pesquisadores mediram os possíveis efeitos da legalização da maconha na segurança rodoviária, analisando dados de seguradoras de automóveis. A preocupação dos pesquisadores é de que a maior parte das pesquisas anteriores sobre a maconha e segurança rodoviária está relacionada com acidentes.

A análise ocorreu com base nas apólices de seguro, dos anos entre 2014 e 2019, e assim a equipe esperava ter uma visão mais clara dos acidentes de trânsito, e como eles foram afetados pela legalização da planta. Um artigo publicado na revista Health Economics, os pesquisadores explicaram que a estimativa é de que a legalização da maconha medicinal reduza os valores anuais de seguro de automóveis em cerca de 22 dólares por domicílio. "O efeito é mais forte em áreas diretamente expostas a um dispensário, sugerindo que o aumento do acesso à maconha impulsiona os resultados.”

Além disso, foram encontradas quedas nos valores em áreas com taxas relativamente altas de condução embriagada antes da legalização médica da maconha. Os pesquisadores entendem que esse resultado é consistente com a substituição entre as substâncias.

Os resultados podem parecer contra intuitivos, já que o acesso mais fácil a drogas, em teoria não levaria a estradas mais seguras e menos acidentes. No entanto, a equipe tem uma série de teorias sobre possíveis fatores contribuintes, incluindo que menos pessoas estão dirigindo sob a influência do álcool, porque as indicações médicas para consumo da maconha são de que seja feita em casa.

*Estagiária sob supervisão de Pedro Grigori

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE