SAÚDE

O que é o 'viagra eletrônico', inventado por brasileiro na Suíça

O aparelho está em fase de testes no Brasil e na Austrália

Brasileiro criou  um dispositivo chamado CaverSTIM, que tem o objetivo de ser uma das alternativas para o tratamento de disfunção erétil -  (crédito: Reprodução/Freepik)
Brasileiro criou um dispositivo chamado CaverSTIM, que tem o objetivo de ser uma das alternativas para o tratamento de disfunção erétil - (crédito: Reprodução/Freepik)

O brasileiro Rodrigo Fraga Silva criou um dispositivo chamado CaverSTIM, que tem o objetivo de ser uma das alternativas para o tratamento de disfunção erétil. O aparelho está em fase de testes no Brasil e na Austrália.

A técnica é feita com a implantação de um neuroestimulador artificial por baixo da pele, na parte inferior do abdômen. O dispositivo fica conectado a região próxima à próstata e ao osso púbico, e é acionado por meio de controles sem fio.

"A tecnologia patenteada da Comphya é baseada na expertise em neuroprotética e consiste em implantar um neuroestimulador na cavidade pélvica, que ativará seletivamente o nervo para desencadear a ereção peniana", explica a empresa Comphya, na qual Rodrigo é CEO e cofundador. 

Funciona assim: o dispositivo fornecerá "estimulação autocontrolada (por meio de um controle remoto sem fio) ao nervo cavernoso para restaurar a função erétil natural. Este dispositivo médico previsto fornecerá uma alternativa indolor, mais segura, mais fácil, confortável e mais eficaz".


CaverSTIM
CaverSTIM (foto: Divulgação)

Além disso, o aparelho lança impulsos elétricos que estimulam o fluxo sanguíneo ao pênis e os estímulos são ajustáveis para se adaptar ao organismo de cada paciente.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

postado em 08/07/2024 11:08
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação