Redes sociais

Felipe Neto diz que não estaria na lista da Time sem suporte da família

Pelas redes sociais, o youtuber e influenciador Felipe Neto agradeceu aos pais, à namorada e à equipe

Correio Braziliense
postado em 23/09/2020 13:01 / atualizado em 23/09/2020 13:43
O brasileiro figura entre as 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time -  (crédito: Reprodução/Instagram)
O brasileiro figura entre as 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time - (crédito: Reprodução/Instagram)

Nas redes sociais, o youtuber brasileiro Felipe Neto comentou a inclusão na lista das 100 pessoas mais influentes do mundo em 2020 da revista Time. Na madrugada desta quarta-feira (23/9), o influenciador digital agradeceu aos pais, à namorada e à equipe pelo trabalho construído e, principalmente, o suporte ao longo dos anos.

“Eu não estaria nessa lista da #TIME100 se não fosse minha mãe, a Bruna e meu pai. Eles poderiam ter me forçado a parar, a desistir da luta, por medo. Eles correm risco junto comigo sem fazerem nada de “errado”, mas o que eles me deram foi FORÇA”, publicou Felipe Neto no Twitter.


O comentário do jovem vai de encontro às ameaças que ele e a família começaram a sofrer no ano passado ao criticar o governo e fazer protesto na Bienal do Livro do Rio de Janeiro. As críticas negativas também se intensificaram depois que o youtuber começou a usar as redes sociais, principalmente o Twitter, para se posicionar politicamente. 

Em julho, um vídeo de Felipe Neto com críticas ao governo de Jair Bolsonaro foi publicado no jornal New York Times, um dos principais jornais do mundo. Nele, o influenciador argumentou que o presidente brasileiro é o líder com a pior atuação no combate à pandemia de covid-19 e também pediu para que os americanos não reelejam Donald Trump. O material, chamado de op-ed, ou seja, uma opinião dissociada da visão do jornal, mas que é tornada publicada por aquele veículo como forma de incentivar debates, ganhou bastante repercussão tanto nacional quanto internacional. 

#TIME100

O youtuber Felipe Neto e o presidente Jair Bolsonaro são os únicos brasileiros a figurar na lista deste ano da revista norte-americana. No entanto, outros nomes, como os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff; o empresário Jorge P. Lemann; o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa; os atletas Neymar e Gabriel Medina e a engenheira química Graça Foster integraram a lista em anos anteriores.

“O fato de Jair Bolsonaro também estar na lista não surpreende, muito pelo contrário. Como o pior presidente do mundo no enfrentamento à covid-19 e no combate às queimadas na Amazônia e no Pantanal, ele está na lista como uma honra negativa. Basta ler o texto associado à sua imagem para entender”, falou Felipe ao Estadão, indo de encontro ao posicionamento assumido pelo influenciador no último ano. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação