Perfil

Conheça Larissa Ayumi, a primeira brasileira a integrar grupo de k-pop

Natural de Curitiba, Larissa Ayumi, de 19 anos, entrou para o Blackswan e já gravou o primeiro álbum com o grupo

Correio Braziliense
postado em 21/10/2020 09:00
 (crédito: Instagram/Reprodução)
(crédito: Instagram/Reprodução)

Aos 19 anos, Larissa Ayumi, agora conhecida agora como Leia, é a primeira brasileira a entrar para um grupo de k-pop. Filha de pai japonês e mãe brasileira, Larissa participou e foi a única aprovada em uma audição da Pledis Entertainment.

A integrante é natural de Curitiba e assumirá a posição de vocalista, rapper de apoio e “maknae” (nome usado para a integrante mais jovem). Atualmente, Larissa reside com as outras integrantes do grupo. Mas não é a única estrangeira. Fatou, nascida no Senegal, também faz parte da nova formação do Blackswan, que é derivado do antigo Rania.

A mais nova integrante do Blackswan teve a a estreia no grupo marcada pela participação primeiro álbum Goodbye Rania, lançado na última sexta-feira (16/10).

Embora Larissa seja a “maknae”, entre coreografias sincronizadas e clipes de grande produção, ela marca a presença no clipe de Tonight. A faixa faz parte do novo álbum. Confira:

A entrada de Leia no grupo foi anunciada oficialmente pelo perfil do grupo no Instagram em 13 de outubro.

K-pop no Brasil

Caracterizados pelas coreografias milimetricamente trabalhadas, grupos grandes, roupas marcantes e, claro, o idioma, o k-pop tem tomado cada vez mais espaço no Brasil. De acordo com uma pesquisa feita pelo Spotify, o país está em quinto lugar no ranking dos países que mais ouvem k-pop.

Líder entre os grupos do pop sul-coreano na plataforma, o BTS é o mais falado no Brasil. Tendo feito shows no país três vezes desde a formação, em 2013. Eles reuniram na última apresentação cerca de 42 mil pessoas.

Além do BTS, outras formações como o BLACKPINK, o TXT e o Twice também fazem muito sucesso entre os brasileiros e são sempre falados nas redes sociais.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação