Sol a Sol

Claudia Leitte lança EP para levar carnaval para dentro de casa

Com cinco músicas dançantes, o projeto ainda traz as parceiras Rodou com Wesley Safadão e Afrontosa com Dadá Boladão

Agência Estado
postado em 11/12/2020 11:24
 (crédito: Instagram/reprodução)
(crédito: Instagram/reprodução)
Claudia Leitte lançou na noite desta quinta-feira, 10, o EP Sol a Sol, que reúne cinco músicas dançantes. Entre os hits, uma versão de Desembaça cantada em espanhol: Vete de Mi Vida. O projeto ainda traz as parceiras Rodou com Wesley Safadão e Afrontosa com Dadá Boladão.
A coletânea foi produzida a distância durante a pandemia de covid-19. Inclusive, em novembro a artista lançou o clipe do single Rodou que foi feito a partir da tecnologia 4D. Em entrevista ao Estadão, Claudia falou sobre o novo trabalho e o processo de criação que ela avaliou como uma experiência inédita.
"Foi um processo difícil, porque eu sempre fiz muitas coisas, mas eu sempre tive o palco. Eu sou uma cantora de ao vivo, eu amo o palco, é no palco onde nascem as minhas ideais para escrever músicas, para gravar, para compor, para fazer turnê, criar cenários e tudo mais. Eu vou para o estúdio porque o palco existe."
A cantora contou ainda que há nove meses não pisa no palco e que para ela as transmissões ao vivo nas redes sociais não substituem os shows. "Eu nunca me importei com o número de pessoas na frente, eu sempre cantei para pessoas, sejam cinco ou um milhão. Por mais que a tecnologia tenha possibilitado fazer lives, ficar sem o palco foi difícil."
O EP Sol a Sol vem no momento em que Claudia ressignifica à distância do público e se apega ao que ela chama de uma "missão de levar alegria". "Ainda estou sem o palco, mas estou sentindo uma coisa diferente, acho que eu aprendi a lidar com essa distância do meu palco. Foi muito importante fazer esse trabalho, é um trabalho simples, mas traz uma libertação, principalmente, para mim. Tem sol, verão, alegria da Bahia. A ideia foi levar o carnaval para dentro da casa das pessoas", afirma a cantora.
Mesmo com as boas notícias envolvendo os avanços das vacinas contra o novo coronavírus, por enquanto carnaval no Brasil só dentro de casa mesmo. Salvador cancelou a festa que ocorreria em fevereiro do próximo ano. São Paulo adiou o festejo para uma data que ainda será definida. No Rio de Janeiro, não terá desfiles de blocos nem de escolas de samba em 2021.
"Eu levo o carnaval muito a sério. O carnaval é extremamente importante para a economia de Salvador e do País. Quando saiu a notícia de que não ia ter carnaval em 2021 mexeu com a nossa estrutura mais interna. Têm músicos, técnicos em um sofrimento sem fim. Tem uma galera que trabalha muito para as pessoas saírem para a rua e se divertir", diz Claudia Leitte. Mesmo com esse cenário ainda austero, a artista acredita que a música está trazendo conforto para o público. "Levar esse carnaval, esse álbum para a casa das pessoas é uma mensagem forte".
Foi possível "entrar" um pouco também na casa de Claudia Leitte, em São Paulo, durante a entrevista ao ouvir choro de Bela, de um ano e três meses. E a cantora, além de contar como a quarentena influenciou na produção do EP, também fez uma reflexão sobre o impacto do isolamento social na rotina de sua família. "Davi e Rafael sempre foram comigo para todos os lugares. Eu viajava e montava minha tendinha ali, meu circo. Isso sempre foi importante para estar perto dos meus filhos. Eu saia do show, sem dormir, virada e ia direto levá-los para a escola. Eles sempre estavam na minha vida, no meu contexto, no que eu oferecia para eles. Essa é a primeira vez que eu não os levo, eles que me levaram para a realidade deles. Eles estão fazendo aula online, eu estou lá com eles. Eu estou participando muito mais da vida dos meus filhos. É diferente de tudo que eu vivi."
Aliás, segundo cantora, são os filhos Davi, 10 anos, e Rafael, 8 anos, que a ajudam aperfeiçoar o inglês e o espanhol. Ao contrário dos filhos que têm educação infantil trilíngue, Claudia dominou outros idiomas após já ter um tempo de carreira. "Eu fui ousada e muito descarada, porque eu cantava 'embromation'. Eu cantava, porque eu sou cantora, mas quando eu tive a oportunidade de aprender, de interpretar, fiquei confiante. Agora sou praticamente um nativa. Falo inglês e espanhol. Tenho duas crianças em casa que falam fluentemente e me ajudam com meu sotaque. Tenho muita música em espanhol e inglês que não lancei ainda."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE