Billie Eilish

Billie Eilish fala sobre aceitação corporal em entrevista à Vogue

Billie Eilish apareceu na capa da Vogue britânica com novo visual e revelou detalhes do próximo disco

Correio Braziliense
postado em 03/05/2021 15:34
Em entrevista à Vogue, Billie Eilish falou sobre corpo e assédio  -  (crédito: Craig McDean/Vogue UK)
Em entrevista à Vogue, Billie Eilish falou sobre corpo e assédio - (crédito: Craig McDean/Vogue UK)

Após o anúncio do novo álbum, Happier than ever, a cantora Billie Eilish estampou a capa da nova edição da Vogue britânica. Na sessão de fotos, Billie trocou as roupas largas em que costuma ser vista por um visual mais clássico. Vestindo estilistas como Alexander McQueen, Mugler e Burberry, a artista posou para o fotógrafo Craig McDean e revelou detalhes do próximo lançamento.


Acostumada a não mostrar o corpo, Billie admitiu que esperava por comentários negativos após o ensaio. “Se você fala sobre positividade corporal, por que usaria um espartilho? Por que não mostraria seu corpo real?”, especulou a cantora sobre possíveis críticas que poderiam ser direcionadas a ela.

“Posso fazer o que eu quiser. É tudo sobre o que faz você se sentir bem. Se você quer fazer uma cirurgia, vá fazer uma cirurgia. Se você quiser usar um vestido que alguém acha que você parece muito grande usando, f***-se isso. Se sentir que parece bom, você está bem”, afirmou Billie. “Mostrar o corpo ou a pele – ou não – não deveria tirar nenhum respeito de você”, completou.


Na entrevista, a cantora também revelou alguns detalhes de Happier than ever, que tem lançamento previsto para 30 de julho. “Minha voz melhorou muito. É muito louco pensar nisso. Acho que a mudança é um dos melhores presentes do mundo”, comemorou.

Já sobre Your power, Billie revelou que o recém-lançado single é uma carta aberta para pessoas, principalmente homens, que tiram proveito das outras. “Eu gostaria que me ouvissem, e não apenas tentassem descobrir sobre quem estou falando, porque não é sobre isso. Realmente não é tudo sobre uma pessoa. Você pode pensar ‘é porque ela está na indústria’ e não, cara. Isso acontece em todos os lugares”, pontuou.

“Eu não conheço uma garota ou uma mulher que não tenha tido uma experiência estranha ou uma experiência realmente ruim. E homens também. Aproveitam-se de garotos constantemente”, finalizou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE