Programação cultural

Quinta edição do projeto Arte Fato traz o rap para o palco virtual

Nesta terça-feira (4), sobem ao palco virtual, os representantes do rap da Ceilândia Sobreviventes da Rua e Realleza

Correio Braziliense
postado em 04/05/2021 10:31
 (crédito: Babi Bitch)
(crédito: Babi Bitch)

Realizados quinzenalmente no canal no YouTube do Sindicato dos Bancários, os shows do projeto Arte Fato garantem a diversidade de vertentes artísticas produzidas no DF. Na programação estão apresentações musicais, performances cênicas, poéticas e de literatura, além de outras linguagens. No próximo encontro com o público, que ocorre nesta terça-feira (4/5), sobe ao palco virtual do evento o grupo de rap ceilandense Sobreviventes da Rua, às 19h, seguidos da rapper Realleza, ex-integrante do grupo que agora investe na carreira solo. 

A força do rap do DF

Sobreviventes da Rua
Sobreviventes da Rua (foto: Sobreviventes da Rua/ Divulgação)

O grupo Sobreviventes da Rua promete trazer para essa apresentação canções que são instrumento na luta contra a desigualdade e a favor das causas sociais. Dentre outras temáticas, as letras mostram a realidade nas periferias urbanas e discutem maus tratos, preconceito racial e de classe, drogas, conscientização política e o descaso das autoridades.

Já Realleza, que é rapper, cantora, compositora e bacharel em direito, traz ao palco a força da cultura que mescla suas origens brasileiras (na periferia do DF) e moçambicanas. O trabalho autoral da artista também reforça o empoderamento negro e feminino. Ela lançou o EP de estreia, Afrontosa, em 2020.

Desde a primeira edição, se apresentaram nomes como o de Alessandra Terribili, Chinelo de Couro, Cangaceiros do Cerrado, Lucélia Santos, Miqueias Paz, Noélia Ribeiro, Som de Papel, Thabata Lorena, Vanderley Costa, Virgílio Mota, Quarteto Zimbatera, Rene Bonfim e Cleyson Batah. Todas as edições podem ser assistidas também pelo YouTube.

Campanha social 

O projeto também convida a comunidade a se engajar na campanha Quem tem fome, tem pressa!, do Comitê de Solidariedade Bancária de Combate ao Coronavírus, por meio de doações. Criada em maio do ano passado, a iniciativa presta solidariedade e socorro emergencial. Ela tem possibilitado o auxílio alimentar a catadores de materiais recicláveis, pessoas em situação de rua, mulheres vítimas de violência, quilombolas, pessoas LGBT+, bem como abrigos para a terceira idade, creches e categorias profissionais impactadas pela covid-19, como é a situação da classe artística.

Serviço

Projeto Arte Fato - 5ª Edição

Por meio do canal do YouTube do Sindicato dos Bancários. Nesta terça-feira (4/5), a partir das 19h. Shows do grupo de rap Sobreviventes da Rua e da rapper Realleza, de Ceilândia. Gratuito. Livre para todos os públicos.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE