Documentário

'Alucinação': canções do 2ª álbum de Belchior inspiram documentário

Dirigido por Renato Terra em parceria com Marcos Caetano e Léo Caetano, o filme intercala imagens de arquivo sobre a geração dos anos 1970 com canções emblemáticas do álbum de 1976 de Belchior

Correio Braziliense
postado em 12/05/2021 09:59
Belchior foi um dos ícones da efervescência dos anos 1970 -  (crédito: Wanderley Pozzembom/CB/D.A Press)
Belchior foi um dos ícones da efervescência dos anos 1970 - (crédito: Wanderley Pozzembom/CB/D.A Press)

O disco Alucinação, do cantor Belchior, será tema de um novo documentário sobre a geração da década de 1970. Com título homônimo ao álbum, a produção será escrita e dirigida pelo músico Renato Terra, que anteriormente contribuiu com a direção dos longas Narciso em férias e Uma noite em 67. Marcos Caetano e Léo Caetano assinam como codiretores no novo projeto. A produção é uma parceria entre a Globo Filmes, a GloboNews, o Canal Brasil e a produtora Inquietude. Ainda não há data de estreia anunciada.

Sabe-se que, a partir das músicas do emblemático disco, o longa-metragem promoverá um mergulho na geração que viveu a efervescência dos anos 1970. Para isso, será realizada uma pesquisa completa dos acontecimentos históricos, por meio de imagens, registros familiares e arquivos da memória coletiva. O material gravado e reunido irá se alternar e conversar com as melodias e letras de Belchior. O documentário tem a proposta de evocar uma memória afetiva, as sensações e os sonhos de pessoas que desejaram “amar e mudar as coisas”, como descreveu Belchior na canção.

Alucinação foi o segundo álbum de estúdio do cearense de Sobral, lançado em 1976, e que comporta, nos lados A e B, verdadeiros hinos sobre a vida do músico e sobre as questões da época, como, por exemplo, a canção que dá nome ao álbum, além de Apenas um rapaz latino-americano, Como nossos pais, Sujeito de sorte, Não leve flores, e outras. Belchior morreu, aos 70 anos, em 30 de abril de 2017, no Rio Grande do Sul e desde então vem recebendo homenagens e registros do legado, por meio de boxes musicais, biografias, interpretações e no audiovisual.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE