Salve-se quem puder

Rodrigo Simas teve crises de riso ao beijar no acrílico para cenas de novela

Ator Rodrigo Simas lembra, em entrevista à revista Quem, que foi ruim fazer as cenas. O beijo no acrílico era medida de segurança devido à pandemia de covid-19

Correio Braziliense
postado em 23/06/2021 11:03
 (crédito: TV Globo/ Divulgação)
(crédito: TV Globo/ Divulgação)

A novela Salve-se quem puder está na reta final, mas as cenas foram totalmente gravadas no fim do ano passado, início deste ano, momento em que a pandemia estava mais sob controle no país. Medidas de segurança foram tomadas para proteger o elenco e a equipe técnica.

Uma delas é uma placa de acrílico onde os atores beijam para evitar contato entre os dois profissionais que estão contracenando. Em entrevista à revista Quem, o ator Rodrigo Simas, que vive Alejandro no folhetim, revelou que essa experiência não foi das mais agradáveis.

"É muito ruim de fazer. Fiquei muito estressado porque não depende só da gente, tem o posicionamento do acrílico, o olho fechar na hora errada. Me dava ataque de riso. Foi difícil, viu?", afirmou. O resultado também ficou um tanto estranho no ar.

Rodrigo pondera, porém, que facilitou o processo o par romântico dele ser interpretado por Juliana Paiva, a Luna. Isso porque eles reeditam em Salve-se quem puder a parceria de Malhação: Intensa como a vida (2012).

"Quando soube que contracenaria com ela, fiquei muito tranquilo. A gente tem muita troca e isso faz diferença no resultado para o que trabalho possa ser leve. Luna e Alejandro foram criados juntos. A gente já tinha uma memória afetiva. Isso facilitou para a intimidade do passado de Luna e Alejandro", conta.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE