Quadrinhos

Série da Social Comics aborda a representatividade LGBTQI+

O episódio é intitulado 'Muito além do arco-íris' é dirigido por Deborah Novais, com roteiro de Luiza Lemos e direção de arte e ilustrações de Talles Rodrigues

Correio Braziliense
postado em 26/06/2021 09:59
Poster do episódio 'Muito além do arco-íris', da série documental 'A importãncia do quadrinho nacional', da Social Comics -  (crédito: Divulgação)
Poster do episódio 'Muito além do arco-íris', da série documental 'A importãncia do quadrinho nacional', da Social Comics - (crédito: Divulgação)

No sábado (26/06), a Social Comics vai lançar, no seu canal do YouTube, o quarto episódio da série A importância do quadrinho nacional. O tema do episódio, intitulado Muito além do arco-íris, é a representatividade LGBTQIAP+ no universo das HQs. A apresentação fica por conta de Sérgio Marques, do canal Maré Geek. A direção é de Deborah Novais, com roteiro de Luiza Lemos e direção de arte e ilustrações de Talles Rodrigues.

Quadrinistas, jornalistas, criadores de conteúdo e pesquisadores fazem parte das 18 pessoas que deram depoimentos para o episódio. Entre elas, Anita Costa Prado, Mário César, Flávia Gasi, Caio Yo, Gabriela Borges (Mina de HQ), Aureliano, Luiza de Souza, Lino Arruda, Alice Pereira, Kael Vitorelo e Ivan Costa. Todas gravaram os vídeos das próprias casas, em consideração aos protocolos de saúde exigidos devido à pandemia do coronavírus.

Logo no primeiro ato, alguns participantes contam sobre casos de discriminação que vivenciaram. Além disso, cada letra de LGBTQIAP+ é explicada no decorrer de Muito além do arco-íris. Outros assuntos abordados no episódio são a importância da representatividade e do protagonismo dos pertencentes à sigla dentro dos quadrinhos e a questão da interseccionalidade.

Três importantes pessoas para a comunidade e a luta pela causa são destacadas no episódio: Laerte; Anita Costa Prado, responsável pela criação de Katita, uma personagem lésbica bem resolvida que teve origem em 1995, e Mário César, quadrinista e organizador da Poc Con, primeira feira voltada exclusivamente para artistas LGBTQIAP+.



 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE