POLÊMICAS EM CIMA DE POLÊMICAS

Suzane recebeu por filmes, elenco falou com envolvidos, Lei Rouanet pagou produção?

Esclareça algumas fake news que rondam os recém-lançados filmes ‘A menina que matou os pais’ e ‘O menino que matou meus pais’

Ronayre Nunes
postado em 01/10/2021 21:51 / atualizado em 01/10/2021 21:59
A distribuidora responsável pelos filmes inclusive já tinha endereçado o assunto antes mesmo dos longas serem lançados -  (crédito: Amazon Prime/ Divulgação)
A distribuidora responsável pelos filmes inclusive já tinha endereçado o assunto antes mesmo dos longas serem lançados - (crédito: Amazon Prime/ Divulgação)

A menina que matou os pais e O menino que matou meus pais finalmente chegaram ao streaming e, junto com o sucesso de público, também apareceram várias fake news em relação às produções. A mais curiosa delas sugere que Suzane Von Richthofen, ou os irmãos Cravinhos, teriam ganhado dinheiro pelos direitos autorais de terem sua história nas telas. A informação, contudo, é mentirosa. Nem Suzane, nem os irmãos receberam dinheiro algum. 

A distribuidora responsável pelos filmes, a Galeria Distribuidora, inclusive já tinha endereçado o assunto antes mesmo dos longas serem lançados. Segundo a empresa, em um post ainda de fevereiro de 2020, “Nenhum dos envolvidos representados receberam dinheiro ou têm direitos sobre os filmes e também não terão qualquer participação nos resultados”.

Vale lembrar que o próprio elenco já foi a público deixar claro o distanciamento com os envolvidos no assassinato.

Outra mentira sobre as produções envolve a Lei Rouanet. A distribuidora também nega ter recebido qualquer dinheiro do governo: “Os filmes foram produzidos com 100% de investimento privado, sem a utilização de fundos públicos”.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE