MÚSICA

Nova edição de espetáculo I'll be there presta homenagem ao rei do pop

Em sua 11ª edição, tributo a Michael Jackson é realizado em monumentos de Brasília, com apresentações de artistas locais apresentando o legado musical do astro pop

*Renan Lisboa
postado em 17/11/2021 06:00
 (crédito: Luke Frazza)
(crédito: Luke Frazza)

I'll be there, projeto criado como um tributo a Michael Jackson, chega à sua 11ª edição. Este ano, o espetáculo que homenageia a genialidade do Rei do Pop acontece no formato de documentário, dividido em seis episódios. Disponíveis no YouTube até 23 de novembro, o evento propõe um diálogo poético, reflexivo e lúdico, apresentando alguns dos principais pontos de Brasília, que servirão como cenário para as apresentações do projeto.

Célia Porto, diretora artística e uma das criadoras do espetáculo, conta que o projeto surgiu em 2010, durante a comemoração dos 50 anos de Brasília. "Foi em um aniversário alternativo criado por nós mesmos. E daí eu tive a ideia e falei: 'Gente, vamos fazer uma homenagem ao Michael Jackson, em junho completará um ano de sua morte'", conta. "Foi no U.K. Brasil, um pequeno lugar que ficou superlotado, com uma fila enorme do lado de fora. E daí, quando vi essa situação, resolvi, no mesmo ano, fazer uma outra edição num lugar maior que foi no Teatro Garagem", relembra Célia.

O show, que propõe uma união entre os diversos segmentos artísticos, destacará versatilidade do Rei do Pop a partir do olhar dos principais pontos turísticos da capital, como a Torre de TV, Museu de Arte de Brasília, Museu da República, Concha Acústica, Torre Digital, a Casa de Chá e a Catedral. "Dividimos em seis capítulos e, em cada capítulo, usamos um monumento da cidade para que esta interaja com o projeto. Então para cada monumento temos um tema", informa a diretora. Trata-se de um encontro de artistas, cada um com sua identidade, impressionando o público pelos locais por onde passa pela sua excepcional qualidade artística e musical.

Segundo Célia Porto, a pluralidade artística do Michael Jackson contribuiu para a versatilidade do próprio projeto, visto que o espetáculo em si une diversos segmentos artísticos como a dança, a música e o teatro, por exemplo. Ela conta que o projeto une diversos estilos, o que acaba por se tornar algo agregador para o artista. "O Michael Jackson contribui para a versatilidade de todos esses artistas, de vários segmentos e também de estilos diferentes como MPB, heavy metal, lírico, erudito... Eu convido gente de vários estilos, é agregador mesmo. O artista se motiva e de repente mostra até coisas que no seu trabalho solo não mostraria", afirma.

Célia Porto destaca que poder contar com a inclusão do espetáculo no calendário oficial de tributo ao Michael Jackson foi algo que ela não esperava e que possibilitou uma maior visibilidade para o projeto. "Foi legal, importante para gente e eles (site oficial do Michael Jackson) sabem que a gente existe, isso é bacana", afirma.

O espetáculo é realizado pelo Instituto Rosa dos Ventos e pela Ponte Estúdio, além de contar com o fomento da Secretaria de Estado de Turismo (Setur-DF). Para maiores informações, consulte o Instagram do projeto.

 *Estagiário sob a supervisão de José Carlos Vieira

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE