Obituário

Saiba mais sobre a doença que tirou a vida de Maurílio

Considerado gravíssimo, o tromboembolismo pulmonar não tem ligação alguma com a vacina contra a coivid-19 e se origina de problemas nos membros inferiores

João Mello - Especial para o UAI
postado em 30/12/2021 09:35 / atualizado em 30/12/2021 09:38
 (crédito: Reprodução/Instagram)
(crédito: Reprodução/Instagram)

O Brasil se entristeceu com a partida precoce de Maurílio, que fazia dupla com Luíza. O cantor tinha 28 anos e estava internado há 14 dias em Goiânia por conta de complicações desenvolvidas por um tromboembolismo pulmonar. Ele morreu na quarta-feira (29/12) e o corpo deve ser velado nesta quinta-feira (30/12).

A doença, com nome difícil de se pronunciar, é grave. Em entrevista para o G1, o médico que acompanhou de perto o quadro de Maurílio, explicou melhor: “É uma doença muito grave. É um coágulo que obstrui a artéria pulmonar. Em 25% dos casos ocorre morte súbita. É uma situação muito grave a dele”, disse Wandervam Azevedo.

Entenda o Tromboembolismo pulmonar

O tromboebolismo engloba dois conceitos, conforme explicou o médico cardiologista Maurício Prudente ao G1. De acordo com o especialista, "trombo" significa coágulo, ou seja, sangue coagulado. Já "embolia" significa um tipo de corpo estranho que se movimenta pelo sangue.

"Quando a gente junta os dois, a gente está dizendo que teve um coágulo que se movimentou para um lugar indesejado. Com isso, podemos ter embolia cerebral, embolia cardíaca, embolia pulmonar, embolia renal, embolia nos membros", afirmou.

As causas da doença, de acordo com especialistas, podem ser coágulos que se originaram em membros inferiores, como nas pernas. Esses coágulos, por sua vez, se deslocam pelas veias e podem chegar a outras partes do corpo. No caso de Maurílio, até o pulmão, trajeto normal do sangue.

 "Chegando no pulmão, se ele for de um tamanho expressivo, ele faz uma obstrução nas artérias que levam o sangue para ser oxigenado. Com isso, a consequência quase imediata é uma parada cardiorrespiratória”, disse Maurício.

Fake news relacionadas a vacinas

Com a notícia da morte de Maurílio, muitos internautas, de grande maioria bolsonaristas, se aproveitaram, de muita má fé, do fato de que cantor havia se vacinado contra a covid-19 há poucas semanas. Para esses negacionistas, o mal foi causado pela vacina. Tal afirmação, porém, é falsa, e não há nenhuma evidência científica que ligue o tromboembolismo ao fato de Maurílio estar vacinado contra a covid-19.

"Acho muito pouco provável. Para a gente associar a doença à vacina, de alguma maneira, mesmo assim com baixa probabilidade, a pessoa teria que ter tomado o imunizante há no máximo 48 horas”, afirmou. No caso de Maurílio, há um intervalo de cerca de um mês entre a vacinação e a internação do sertanejo.

O tromboembolismo pulmonar é considerado gravíssimo pelos médicos e pode levar à morte como, infelizmente, aconteceu com Maurílio, que tinha apenas 28 anos .

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE