TRAMA

Renascer: saiba quem será o grande vilão na segunda fase da novela

Na primeira fase, a trama tinha como antagonistas, os coronéis Firmino (Enrique Diaz) e Belarmino (Antonio Calloni)

Renascer: saiba quem será o grande vilão na segunda fase da novela -  (crédito: Observatorio dos Famosos)
Renascer: saiba quem será o grande vilão na segunda fase da novela - (crédito: Observatorio dos Famosos)
postado em 02/02/2024 14:04
Vladimir Brichta como Egídio em Renascer
Divulgação/TV Globo
Vladimir Brichta como Egídio em Renascer

A segunda fase do remake de Renascer começa na próxima segunda-feira (5) e contará com novos personagens importantes, entre eles, o grande vilão da história.

Na primeira fase, a trama tinha como antagonistas, os coronéis Firmino (Enrique Diaz) e Belarmino (Antonio Calloni). Os personagens, no entanto, morreram antes mesmo de ocorrer uma passagem de tempo na novela.

Novo vilão de Renascer

Na segunda fase de Renascer, quem assume o papel de grande vilão da história, é Egídio (Vladimir Brichta), filho do falecido Firmino. O herdeiro do coronel será responsável por dar muitas dores de cabeça a José Inocêncio (Marcos Palmeira), conforme contou o autor Bruno Luperi em entrevista ao Gshow.

"O antagonista é o Egídio, que vai estar sempre em busca do controle da região. A gente tem a figura de um bom coronel, o José Inocêncio, um cara digno, honrado e decente. E temos o Egídio, um coronel que não é tão bom assim. Ele fala muito com o Brasil de hoje", disse o neto de Benedito Ruy Barbosa.

De acordo com o autor, o personagem é o que podemos chamar de "falso moralista". "Nesse momento político que a gente vive, converso muito com pessoas de todas as opiniões e inclinações partidárias e não tenho nenhum problema com conservador. Tenho problema com falso moralista, que se diz conservador e, na sua intimidade, é um cara repugnante, que explora, que abusa, que trai a esposa… Isso me incomoda. O cara que prega a moral e os bons costumes e que bate na mulher… Isso pra mim é um vírus. E a gente pega na novela o falso moralista (Egídio) e o conservador (José Inocêncio), acho isso brilhante", explicou Luperi.

Vale lembrar que, na versão original da novela, exibida em 1993, Egídio se chamava Teodoro e foi interpretado por Herson Capri.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

-->