Música

Lobão celebra meio século de rock 'n' roll, neste sábado, em show no Toinha Brasil

Cantor e guitarrista traz a Brasília a turnê '50 anos de vida bandida', na qual resgata hits da profícua carreira, empolgantes faixas de lados B e releituras de clássicos da MPB, reunidas no mais recente álbum, 'Canções de quarentena'

O cantor e guitarrista Lobão -  (crédito: Facebook/Reprodução)
O cantor e guitarrista Lobão - (crédito: Facebook/Reprodução)
postado em 13/04/2024 00:41 / atualizado em 16/04/2024 18:56

Nome essencial na história do rock brasileiro, o multi-instrumentista Lobão está na estrada com a turnê 50 anos de vida bandida, na qual celebra meio século de carreira artística. Neste sábado (13/4), acompanhado pelo contrabaixista Guto Passos e pelo baterista Armando Cardoso, o líder do power trio empunha guitarra e canta emblemáticas canções acumuladas na vasta discografia de 14 álbuns de estúdio. A apresentação ocorre no Toinha Brasil Show (SOF Sul), a partir das 20h. Os ingressos variam de R$ 90 a R$ 160, disponíveis pelo Clube do Ingresso.

Aos 66 anos de idade, Lobão exibe excelente entusiasmo criativo musical e revisita a própria obra, além de grandes clássicos da MPB, em arranjos vigorosos de puro rock 'n' roll. Os fãs poderão matar a saudade de hits nostálgicos, como Canos silenciosos e Decadence avec elegance, além de faixas menos famosas, mas igualmente potentes, caso de Tranquilo (de Canções dentro da noite escura) e releituras do cancioneiro nacional.

Após anos recentes de malfadada militância política, em que flertou com segmentos sombrios da extrema direita, Lobão fez autocrítica, reconciliou-se com a música, foca agora na própria carreira artística e prova que merece ser reconhecido como um dos grandes nomes da cena nacional.

O mais recente trabalho, o álbum duplo Canções de quarentena, reúne mais de 30 faixas, passando pela autoral Lullaby; a clássica Um girassol da cor do seu cabelo, do Clube da Esquina; até a internacional Mother, de John Lennon. Com virtuosismo, Lobão gravou a maioria dos instrumentos: bateria, guitarra, contrabaixo e teclados. Um gênio no estúdio, refletindo sobre a própria essência, em busca de paz interior e apontando caminhos pujantes para a música brasileira. 

Além da poesia e da voz rasgada do velho Lobo, a guitarra é grande protagonista da turnê. Com timbres e distorções muito bem elaboradas — dos acordes limpos aos solos mais psicodélicos — Lobão exibe técnica refinada e domínio instrumental, sem obviedades, trilhando como um trem azul as rotas que conduzem à boa música. Dos primeiros álbuns aos trabalhos mais recentes, tudo está devidamente revisto e atualizado pelo constante aperfeiçoamento do rigoroso multi-instrumentista. 

O show deste sábado em Brasília é apenas a quarta apresentação da turnê que pretende passar por todo o país. Florianópolis, Curitiba e Goiânia foram as cidades visitadas antes, todas com casas cheias, público empolgado e momentos memoráveis, como a garota Emily, na capital paranaense, que subiu ao palco e cantou Vida Bandida ao lado do compositor. São novas gerações fortalecendo o legado de Lobão, provando que o rock (não) errou...

* Antologia Politicamente Incorreta dos Anos 80 pelo Rock

Ouça entrevista com Lobão, gravada em 2018, sobre o álbum Antologia Politicamente Incorreta dos Anos 80 pelo Rock:

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação