Nova nota

Conheça o lobo-guará, da cédula de R$ 200

Típico do cerrado, animal foi escolhido para estampar a nova nota em pesquisa realizada em 2001

Marina Barbosa
postado em 02/09/2020 18:11
 (foto: Divulgação)
(foto: Divulgação)

O lobo-guará estampa a nota de R$ 200, lançada nesta quarta-feira (02/09) pelo Banco Central (BC), por uma escolha da população. E, além de ser um animal típico do cerrado, é o maior canídeo da América do Sul.

A escolha do lobo-guará ocorreu ainda em 2001, quando o governo Fernando Henrique Cardoso perguntou à população quais animais da fauna brasileira deveriam ilustrar as novas notas do Real. O primeiro colocado foi a tartaruga-marinha, que foi para a nota de R$ 2 naquele mesmo ano. O segundo, o mico-leão-dourado, que está na nota de R$ 20, lançada no ano seguinte.

O lobo-guará foi o terceiro colocado da pesquisa, mas teve que esperar 18 anos para chegar ao Real porque, depois dos R$ 20, o BC acabou interrompendo o lançamento de cédulas com novas numerações. O estudo sobre os R$ 200, por sinal, existia desde 2001, mas só saiu da gaveta agora em 2020, depois que a pandemia de covid-19 aumentou a demanda da população por papel-moeda.

A nota nota foi lançada nesta quarta-feira, em uma cerimônia virtual que contou com uma "homenagem" ao lobo-guará. Diretora de Administração do BC, Carolina de Assis Barros, lembrou que o lobo-guará é um mamífero típico do cerrado brasileiro, mas também é o maior canídeo da América do Sul. "Pertence à família dos cães, lobos e raposas. E o seu nome científico traz suas principais características físicas: é um cão vermelho de cauda curta", contou.

Guará, em tupi-guarani, significa vermelho. A cédula estampada pelo lobo, contudo, é cinza, com detalhes em sépia, o que acabou decepcionando parte da população. Na internet, que estava ansiosa pelo lançamento da nota e produziu vários memes em torno da cédula, são muitas as críticas de que a nota está "apagadinha" e de que o desenho do lobo-guará poderia ser mais atrativo.

Vegetação

A nota, contudo, traz outro elemento ligado ao lobo-guará e ao cerrado brasileiro: a vegetação chamada de lobeira. Carolina explicou que o lobo-guará vive em torno das flores e dos frutos da lobeira. "A fruta preserva os rins do lobo contra os vermes e é o lobo quem espalha as sementes da lobeira pelo cerrado", contou a diretora do BC, dizendo que, por isso, "o arbusto aparece na ambientação da cédula, bem como seus frutos e folhas".

Os ramos da lobeira, bem como parte do corpo do lobo-guará, por sinal, representam parte dos elementos de segurança da nota de R$ 200. É possível sentir um alto-relevo nesses elementos. Também é possível ver uma marca-d'água do lobo-guará quando a cédula é colocada contra a luz.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação