Negócios

Sete mil empresas fecharam no DF entre maio e agosto

Dados do Ministério da Economia mostram que o Distrito Federal é a única região do país a ter aumento no fechamento de empresas na comparação com o primeiro quadrimestre do ano

Marina Barbosa
postado em 17/09/2020 13:44 / atualizado em 17/09/2020 13:45
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

O Distrito Federal (DF) foi a única região do país a registrar aumento no fechamento de empresas nos últimos quatro meses. Segundo o Ministério da Economia, sete mil negócios foram encerrados no DF entre maio e agosto deste ano, 0,4% a mais que no primeiro quadrimestre deste ano.

"Com exceção do Distrito Federal, todas as unidades da federação registraram queda nos números de fechamento de empresas quando comparado com dados do primeiro quadrimestre desse ano", revela o Mapa de Empresas, divulgado nesta quinta-feira (17/9) pelo ministério. O documento mostrou que, apesar da crise da covid-19, 782,6 mil empresas foram criadas no Brasil nos últimos quatro meses.

Por outro lado, o documento destaca que o número de sete mil empresas fechadas é 16,1% menor que o registrado pela capital no mesmo período ano passado. "A queda de 0,4%, estatisticamente, é irrelevante. Então, entendemos que houve uma manutenção do resultado anterior", alegou o diretor do Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração do Ministério da Economia, André Santa Cruz.

Saldo positivo

Apesar disso, o Distrito Federal registrou a abertura de 22.136 novas empresas entre maio e agosto deste ano. Por isso, o saldo do segundo quadrimestre é positivo em 15.136 novos negócios. Com isso, a capital passou a ter um total de 348.158 empresas ativas.

Além disso, a unidade federativa desponta no segundo lugar do ranking do tempo de abertura de empresas do país. Segundo o Mapa de Empresas, é possível abrir uma empresa em 1 dia e 2 horas no DF — tempo que só perde para o do estado de Goiás: 1 dia e 1 hora.

No primeiro quadrimestre deste ano, contudo, o Distrito Federal ocupava o primeiro lugar desse ranking, com 1 hora a menos. O Mapa de Empresas explica que Goiás conseguiu reduzir em 11 horas o seu tempo de abertura de empresas nos últimos quatro meses e lembra que esse período cresceu em quase todo o país no início da pandemia de covid-19 devido às dificuldades impostas pelo isolamento social.

No Brasil, o tempo médio de abertura de uma empresa é de 2 dias e 21 horas. "O tempo médio de abertura de empresas apresentou crescimento entre os meses de março e maio, demonstrando os impactos do isolamento social acarretado pela covid-19. [...] Porém, constatou-se, desde o mês de junho, uma sensível queda nos tempos de análise no processo de abertura de empresas, tanto na viabilidade quanto no registro, o que demonstra o empenho das administrações públicas envolvidas no processo em prol da digitalização dos procedimentos necessários para a abertura de negócios no país", afirma o Mapa de Empresas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação