MERCADO

Ibovespa opera com otimismo em meio a bons resultados de vacinas

Bolsa brasileira apresenta alta após resultados da vacina de Oxford e empresas que estavam em queda devido ao isolamento social retomam posições

Edis Henrique Peres*
postado em 23/11/2020 15:36
 (crédito: Miguel Schincariol/AFP - 29/01/19)
(crédito: Miguel Schincariol/AFP - 29/01/19)

Ibovespa, principal indicador de desempenho das ações negociadas na B3, apresentou alta nesta segunda-feira (23/11) com a notícia de que a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca demonstrou resultado de até 90% de eficácia na prevenção de infecção dos participantes pelo novo coronavírus, sem apresentar efeitos colaterais graves.

Com este cenário, até as 13h15 (horário de Brasília), a Bolsa tinha alta de 1,09% e marcava 107.200 pontos. Já o dólar estava negociado no valor de R$ 5,43. A Bolsa brasileira opera em otimismo desde o anúncio de eficácia da vacina Moderna, que, segundo os resultados, possui mais de 94% de eficácia.

Para o economista Gustavo Bertotti, embora ainda ocorra o aumento de casos de covid-19 em algumas cidades do país e novas restrições, o que o aumento da Bolsa demonstra é que o mercado está esperançoso com a vacina. “Essa esperança vem conduzindo o bom humor dos investidores”, diz.

O economista explica ainda que, neste momento, as Bolsas que estavam em queda devido ao isolamento social, por serem empresas que dependem da movimentação da população, agora, estão retomando seu espaço. “Os setores de consumo, muito impactados pela covid-19, aos poucos vão conquistando suas posições nesse cenário esperançoso”, pontua.

Ações do Carrefour caem 5%

As ações da rede de supermercados Carrefour (CRFB3) caíram 5,84%, até as 13h (horário de Brasília). A CRFB3 opera em queda após diversos protestos durante o fim de semana instigados pela morte de João Alberto Silveira Freitas, negro de 40 anos, que foi espancando na noite de quinta-feira (19) e morto por seguranças terceirizados na loja do Carrefour em Porto Alegre.

Segundo o Atlas da Violência de 2020, publicado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileira de Segurança Pública, para cada indivíduo não negro morto em 2018 foram mortos 2,7 negros. Outro estudo que aponta violência contra os negros é o 14° Anuário Brasileiro de Segurança Pública, elaborado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgado em agosto deste ano. O levantamento revela que das 4.971 crianças e adolescentes brasileiros mortos em 2019, 75% eram negros.

*Estagiário sob a supervisão de Andreia Castro


No entanto, a conduta adotada pelos seguranças ao abordarem João Alberto Silveira Freitas ainda está em investigação pela polícia para averiguar se o homicídio corresponde a um crime de racismo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE