Pagamentos

Em meio à competição por cliente, portabilidade de chave Pix chega a 4,4 milhões

A portabilidade está disponível no aplicativo dos bancos e das empresas autorizadas a operar o Pix para os clientes que desejam transferir a sua chave Pix para outra instituição

Marina Barbosa
postado em 24/11/2020 12:30 / atualizado em 24/11/2020 12:31
 (crédito: Editoria de arte)
(crédito: Editoria de arte)

Além de oferecer pagamentos instantâneos a qualquer hora do dia e a qualquer dia da semana, o Pix promete ampliar a competição do sistema financeiro. E essa competição já começou. Dados apresentados nesta terça-feira (24/11) pelo Banco Central explicam que 4,4 milhões de chaves Pix já foram alvo de portabilidade. Ou seja, foram transferidas para outras instituições financeiras por meio dos seus usuários.

A chave Pix é o meio de identificação de cada conta bancária no sistema de pagamentos instantâneos brasileiros, que entrou em operação plena há pouco mais de uma semana. Pode ser o CPF/CNPJ, o celular e o e-mail do titular da conta ou uma chave aleatória, como um QR Code.

Cada cliente, contudo, só pode ter cinco chaves. Por isso, agora que o Pix entrou em operação, alguns consumidores têm remanejado o cadastro das suas chaves entre as instituições financeiras que mais usam para receber ou transferir recursos.

Segundo o BC, já foram registradas 4,4 milhões de portabilidades da chave Pix. No início da semana passada, as portabilidades somavam 1 milhão. "É um movimento natural de início de operações do Pix. Várias pessoas cadastraram as chaves sem ter certeza em qual instituição eventualmente gostariam de manter a chave cadastrada. E, ao longo da utilização da movimentação, a pessoa foi identificando que queria usar a chave em outra instituição e fazendo a portabilidade", argumentou o chefe-adjunto do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro (Decem) do BC, Carlos Eduardo Brandt.

Ele reforçou que é algo natural em um início de operação, visto que as pessoas estão se acostumando a usar o Pix e avaliando o serviço que é prestado por cada instituição para identificar qual aplicativo traz mais conveniência. "Não significa necessariamente que (o cliente) encerrou a conta em uma instituição e levou para outra, mas que tirou a chave e associou em outra conta", frisou Brandt.

Ele lembrou ainda que esse número de 4,4 milhões de portabilidade se refere a todas as chaves que foram portadas desde o início do cadastramento das chaves, em 5 de outubro. Desde então, já foram 83,5 milhões de chaves cadastradas no Pix por 34,5 milhões de consumidores pessoa física e 2,2 milhões de pessoas jurídicas.

Desde o início do cadastramento das chaves, contudo, os bancos têm feito grandes campanhas de publicidade para garantir as chaves dos seus clientes e não perdê-las para outras instituições. Como mostrou o Correio, alguns bancos oferecem sorteios de R$ 1 milhão para quem cadastrar a chave na instituição. Isso porque 735 instituições foram autorizadas a operar o Pix, entre bancos, fintechs, empresas de pagamento, financeiras e cooperativas de crédito.

Como pedir a portabilidade?

Segundo o BC, todas as instituições participantes do Pix devem oferecer a opção da portabilidade. Caso queira transferir a chave Pix, o cliente deve acessar o aplicativo da instituição em que deseja utilizar a chave e solicitar o registro. A instituição vai abrir o processo de portabilidade no BC e a instituição que detém a chave será notificada para enviar ao cliente uma mensagem solicitando a confirmação da portabilidade.

O cliente deve confirmar a mudança no aplicativo em que havia registrado a chave inicialmente para evitar fraudes ou trocas não solicitadas. Como é digital, o processo pode ocorrer em poucos segundos, segundo o Banco Central.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE