Monopólio

País tem que explorar petróleo antes que energia limpa enterre fósseis, diz Guedes

Ministro afirmou que o monopólio é inútil se o Brasil não conseguir aproveitar a exploração de petróleo antes que fontes limpas de energia e combustíveis sejam a regra no mercado

Israel Medeiros
postado em 25/10/2021 19:31
 (crédito: Edu Andrade/Ascom/ME)
(crédito: Edu Andrade/Ascom/ME)

O país precisa explorar o petróleo enquanto pode para conseguir lucrar antes que fontes de energia limpa enterrem os combustíveis fósseis. É o que afirmou o ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta segunda-feira (25/10), durante o lançamento do Plano Nacional de Crescimento Verde (PNCV) – que tem como um dos objetivos reduzir a emissão de carbono. O evento contou com a presença de ministros e do presidente Bolsonaro.

Para o ministro, não adianta o país ter o monopólio da exploração petrolífera e não aproveitá-la para fazer dinheiro. “Afinal de contas, se nós estamos com crise hídrica, tivemos escândalo de corrupção, são 30, 40 anos de monopólio primeiro no setor elétrico, depois no setor de petróleo. E se daqui a 10, 15, 20 anos o mundo todo migrou para a energia elétrica, para o hidrogênio, para o nêutron, a energia nuclear e o fóssil for abandonado? E o que nós fizemos? Deixamos o petróleo lá embaixo com o monopólio, com uma placa de monopólio estatal em cima e não tiramos o petróleo”, disse.

“Ora, o objetivo é tirar o petróleo o mais rápido possível e transformar em educação, investimento, treinamento, tecnologia. É isso que nós temos que fazer com esse petróleo, tem que sair mais rápido. Não adianta ficar uma placa dizendo que é estatal e o petróleo não sai do chão. E quando sai, sai com corrupção. Então se houve a maior roubalheira da história no Petrolão e se agora o preço do petróleo só sobe, o que o povo brasileiro ganha com isso?”, prosseguiu Guedes.

As falas vêm em um momento de alta das ações da Petrobras no mercado financeiro após o presidente Jair Bolsonaro ter sinalizado que tem estudado sobre o que fazer com a estatal, já que os preços dos combustíveis estão em alta constante. Hoje ele afirmou, no entanto, que a política de preços deverá ser a mesma, caso a empresa seja vendida.

No evento desta segunda, Guedes chegou a ironizar a alta dos papéis da Petrobras após as falas de Bolsonaro e argumentou que só a valorização das ações já serviria para pagar os mais de R$ 30 bilhões necessários para bancar o Auxílio Brasil.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE