Crise Hídrica

Aneel diz que aumento da luz corresponde a estimativas hipotéticas

A Agência diz que o Brasil, no último período úmido registrou o pior regime de chuvas dos últimos 91 anos e, que em razão desse cenário adverso

Fernanda Strickland
postado em 12/11/2021 20:59 / atualizado em 12/11/2021 21:15
 (crédito: Carlos Silva/CB/D.A Press - 26/8/14)
(crédito: Carlos Silva/CB/D.A Press - 26/8/14)

Temendo retalhação do governo, após repercussão sobre o aumento da energia elétrica, nesta sexta-feira (12/11), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgou uma nota explicando que as informações veiculadas correspondem a estimativas preliminares baseadas em cenários hipotéticos.

"A Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL esclarece que as informações veiculadas em reportagens publicadas nesta sexta-feira (12/11) sobre aumento na conta de luz em 2022 correspondem a estimativas preliminares baseadas em cenários hipotéticos que ainda não consideram as medidas de atenuação tarifárias que serão implementadas em 2022", afirma a nota.

A Agência diz que o Brasil, no último período úmido registrou o pior regime de chuvas dos últimos 91 anos e, que em razão desse cenário adverso, "para compensar o baixo nível dos reservatórios com a falta de chuva, têm sido utilizados todos os recursos de oferta de energia disponíveis e foram tomadas medidas excepcionais para assegurar o suprimento de energia no País", explicou.

A Aneel salienta que, no exercício de sua competência legal de regular o setor elétrico brasileiro, em observância às políticas públicas emanadas do Ministério de Minas e Energia (MME), "tem envidado esforços para atenuar os impactos da escassez hídrica nos processos tarifários de 2022, a exemplo de todos os esforços que foram empreendidos nos anos de 2020 e 2021 e que permitiram que os impactos da pandemia no aumento das tarifas fossem significativamente reduzidos, em prol de toda a sociedade brasileira e da sustentabilidade do setor elétrico", declarou em nota.

Repercussão

Um documento interno da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), divulgado pela o jornal O Estado de S. Paulo, nesta sexta-feira (12/11), estima um aumento ainda maior na conta de energia elétrica em 2022.

Segundo documento divulgado mais cedo, a Agência  estima que as contas de luz terão, em média, uma alta de 21,04% em 2022.

Caso confirmado, o reajuste se soma a uma série de aumentos já vistos neste ano por conta da crise hídrica, que deixou o país sob ameaça de apagão e racionamento de eletricidade.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE