COMBUSTÍVEIS

Lucro da Petrobras traz a marca da inflação recorde dos combustíveis, diz FUP

Federação Única dos Petroleiros (FUP) critica lucro recorde da Petrobras em nota. Receita de vendas da Petrobras no período subiu 64,4%, para R$ 141,641 bilhões, frente ao primeiro trimestre de 2021

Isabel Dourado*
postado em 06/05/2022 12:05 / atualizado em 06/05/2022 14:17
 (crédito:  Ed Alves/CB)
(crédito: Ed Alves/CB)

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) publicou, nesta sexta-feira (6/6), críticas ao super lucro registrado no primeiro trimestre pela Petrobras e enfatizou que o resultado traz a marca da inflação recorde dos combustíveis.

Petrobras fechou o 1º trimestre com um lucro de R$ 44,56 bilhões, 3.718% a mais do que há um ano, e 41,4% maior do que o registrado no trimestre anterior, segundo informou a companhia à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) na quinta-feira (5).

O lucro da empresa foi 38 vezes maior que o mesmo período do ano passado e, segundo a FUP, traz a marca da inflação recorde dos combustíveis e da transferência de riqueza promovida pela política de paridade internacional de preços do governo Jair Bolsonaro.

Em carta divulgada junto ao relatório financeiro da empresa, o novo presidente da estatal, José Mauro Coelho, atribuiu o resultado ao fato de a empresa estar agora saneada, com redução de encargos para pagamento de dívidas, investindo com responsabilidade e eficiência.

"Reajustes abusivos nos derivados de petróleo no mercado interno adotados pela gestão da Petrobras, com base na Política de preço de paridade de Importação (PPI), garantem altos lucros a acionistas que receberão dividendos de R$ 48 bilhões relativos ao exercício de 2022, em menos de seis meses após a mega distribuição de R$ 101 bilhões do exercício anterior”, destacou Deyvid Bacelar, coordenador geral da Federação única dos petroleiros (FUP), ao comentar os lucros da Petrobras.

Ele ainda enfatizou que o foco da estatal, hoje, é gerar e distribuir valor, principalmente para acionistas privados. "Mais de 45% são investidores estrangeiros, com ações da Petrobras nas Bolsas de São Paulo e Nova York."

No governo Bolsonaro, de janeiro de 2019 a primeiro de maio de 2022 , a gasolina, nas refinarias teve um alta de 165,8%, o diesel, 155,2%, e o GLP, 118,4%, levando o preço do botijão de gás de 13 quilos para acima de R$ 120. 

Preço do barril

Estudo do departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/subseção FUP), com base nas informações dos relatórios de desempenho financeiro da Petrobras de 2019 , 2020 e 2021, mostra que a estatal apresentou, em 2021, um custo médio de extração de petróleo e produção de derivado de R$ 114,89 por barril e vendeu esse produto no mercado interno por R$ 416,40 o barril. O lucro gerado foi de R$ 301,52 por cada barril comercializado no país no ano passado. 

A Petrobras comemorou, no dia 27 de abril, o aumento na produção de petróleo e derivados apontado no relatório de produção e venda do primeiro trimestre de 2022. 

"Se a Petrobras comemorou o aumento na produção, com o custo majoritariamente em real, por que a população segue pagando em dólar? É urgente abrasileirar o preço dos combustíveis", concluiu Bacelar. 

*Estagiária sob a supervisão de Andreia Castro


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE