PARIS-2024

Olimpíada: Guilherme Schmidt é o primeiro brasiliense confirmado

Judoca de 23 anos está entre os convocados pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ) para a primeira disputa olímpica, em Paris; DF aguarda chamados de novos atletas

Gulherme Schmidt foi medalhista de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Santiago-2023 -  (crédito: Wander Roberto/COB)
Gulherme Schmidt foi medalhista de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Santiago-2023 - (crédito: Wander Roberto/COB)
postado em 04/04/2024 17:39 / atualizado em 05/04/2024 18:21

A 113 dias da abertura dos Jogos Olímpicos de Paris-2024, o Distrito Federal celebra o primeiro atleta nominalmente confirmado na disputa. Nesta quinta-feira (4/4), Guilherme Schmidt foi convocado pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ) para a jornada na Cidade Luz.

Talento forjado nos tatames do Sesi Ceilândia, Schmidt disputará, aos 23 anos, a primeira Olimpíada da carreira, na categoria até 81kg. Atleta do Minas Tênis Clube de Belo Horizonte, ele dividirá os tablados masculinos com Willian Lima (66kg), Daniel Cargnin (73kg), Rafael Macedo (90kg), Leonardo Gonçalves (100kg), além do experiente Rafael Silva “Baby”, confirmado na quarta disputa olímpica.

"O sentimento é de muita felicidade por conseguir essa convocação, que coroa um ciclo olímpico muito vitorioso. Conquistei medalhas nas principais competições, como Grand Slam, Grand Prix, vice-campeonato do World Master e o ouro nos Jogos Pan-Americanos. Esse é só um passo para o meu grande objetivo: a medalha olímpica", compartilhou Schmidt ao Correio

Entre as mulheres, o destaque fica por conta de Mayra Aguiar, bronze nos 78kg em Londres-2012, Rio-2016 e Tóquio-2020. A jornada em Paris-2024 será a quinta olímpica da gaúcha de Porto Alegre. Ela liderará um grupo com Larissa Pimenta (52kg/), Rafaela Silva (57kg) e Beatriz Souza (+78kg).

Essa foi a primeira lista de convocados do Brasil para o judô. As categorias 48kg, 63kg, 70kg e 60kg, cujos atletas brasileiros continuam fora da zona de ranqueamento ou com disputas internas, serão anunciadas breve, segundo a CBJ. O ranking olímpico será fechado em 25 junho, data limite para a classificação aos Jogos de Paris-2024.

O judô é o esporte que mais contribuiu com pódios olímpicos para o Brasil na história dos Jogos, com 24 medalhas — quatro de ouro, três pratas e 17 bronzes. O saldo é ainda mais positivo no retrospecto recente, com conquistas em 10 edições consecutivas, de Los Angeles-1984 a Tóquio-2020. A primeira foi o bronze de Chiaki Ishii, em Munique-1972.

"Nossa modalidade tem uma tradição de buscar medalhas há dez ciclos olímpicos e, para Paris-2024, a meta não é diferente. Temos conhecimento da nossa responsabilidade em relação ao que o judô escreve na história do esporte nacional", discursou o presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges.

Mais DF em Paris-2024

Guilherme Schmidt é o primeiro brasiliense com o nome confirmado para a disputa dos Jogos Olímpicos. Porém, outros nomes são dados praticamente como certos para compor a delegação do Time Brasil. Destaque da marcha atlética, Caio Bonfim obteve índice, mas aguarda a convocação. Quem também pode pintar em Paris é Aboubacar Neto, levantador da Seleção Brasileira de vôlei masculino, Kelly Rosa, do Handebol. No boxe, Viviane Pereira ainda busca vaga. Base dos saltos ornamentais do país, o DF também pode emplacar atletas na modalidade.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação