Ensino

Escola pública de Samambaia Sul é 14ª do DF a ter gestão compartilhada

Mais de 96% de pais, professores e gestores decidiram, em assembleia no último sábado (11/12), a adesão ao projeto Escolas de Gestão Compartilhadas pelo ensino cívico-militar

Correio Braziliense
postado em 14/12/2021 14:43
 (crédito: Álvaro Henrique/SEEDF)
(crédito: Álvaro Henrique/SEEDF)

O Centro de Ensino Fundamental (CEF) 507 de Samambaia Sul virou a 14ª escola do Distrito Federal a ter gestão compartilhada. Com 96,7% de votos favoráveis, a unidade de ensino aprovou a adesão ao projeto Escolas de Gestão Compartilhadas. A decisão foi tomada no último sábado (11/12), em assembleia composta por pais, professores e gestores da educação. A reunião no CEF 507 começou antes da votação, das 10h às 12h. O resultado foi divulgado cerca de 40 minutos depois.

A escola, que atende 977 estudantes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, vai começar o ano letivo de 2022 no novo modelo, que será realizado em parceria com o Ministério da Educação (MEC), por meio das Forças Armadas.

O objetivo do projeto é promover a cultura de paz no âmbito escolar. No modelo, os profissionais da educação ficam responsáveis pelo trabalho pedagógico e os da segurança, pela disciplina. Há, ainda, o desenvolvimento de atividades voltadas ao civismo.

Antes de serem realizadas as votações, os participantes têm acesso, por meio de apresentações, a todos os pontos do projeto. Além disso, é aberta a oportunidade para que pais, responsáveis, estudantes, sindicatos e servidores tirem dúvidas e debatam o assunto.

Como as demais escolas que fazem parte da gestão compartilhada, o CEF 507 de Samambaia foi escolhido tendo como critério o Indicador de Vulnerabilidade Escolar (IVE) que abrange dados de vulnerabilidade social, índices de criminalidade, de desenvolvimento humano e da educação básica.

Projeto em andamento

Do total de unidades educacionais que aderiram à proposta, 12 tiveram a implementação, sendo quatro em parceria com o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) e seis com a Polícia Militar do DF (PMDF). Em ambos modelos, as normativas são as mesmas e estipuladas pela Secretaria de Segurança Pública (SSPDF), que é a responsável pelo projeto. Nas outras duas escolas, a proposta conta com a parceria do Ministério da Educação (MEC), tendo o modelo estipulado pela pasta.

Tanto nas gestões da Secretaria de Segurança Pública do DF quanto nas do Ministério da Educação, o foco é na questão disciplinar. Entretanto, nas em que a SSP atua, as atividades extracurriculares são voltadas para música e esporte, enquanto as do MEC atuam no fortalecimento das matérias ministradas em sala e com atividades cívicas.

Sobre a gestão compartilhada

O Projeto Escolas de Gestão Compartilhada – EGCs, em parceria com a Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP) e com o Ministério da Educação (MEC), teve início em fevereiro de 2019. Destinado a estudantes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e do ensino médio, no total, cerca de 16 mil alunos são atendidos pelo projeto.

A proposta é realizada junto com a comunidade, estimulando a participação dos pais na vida escolar dos seus filhos e auxiliando os professores na condução dos alunos, sem interferência alguma dos policiais no conteúdo ministrado por docentes em sala de aula.

Com informações da Secretaria de Educação do DF

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação