Diversidade

Angela Merkel critica lei húngara sobre LGBT+ e a considera "equivocada"

A chanceler alemã e democrata-cristã considera proibição de conteúdos LGBTQIA+ para menores como um obstáculo para a "liberdade de educação"

Agência France-Presse
postado em 23/06/2021 15:36
 (crédito: John MACDOUGALL / AFP)
(crédito: John MACDOUGALL / AFP)

A chanceler alemã, Angela Merkel, chamou de "equivocada" a lei adotada na Hungria sobre os direitos da comunidade LGBT, considerada discriminatória para as minorias sexuais.

"Penso que esta lei está equivocada e é incompatível com minha ideia da política", afirmou a chefe de Governo diante dos deputados alemães, em referência ao texto que limita os direitos LGBT na Hungria, estimulada pelo governo conservador de Viktor Orban, que ao longo de seu mandato intensificou a legislação contra lésbicas, gays, bissexuais e transgênero.

Merkel considera que a lei, que proíbe a difusão entre os menores de conteúdo considerado como uma promoção da homossexualidade e faz um paralelo entre a comunidade LGBT e a pornografia, é um obstáculo para a "liberdade de educação".

A chanceler destacou, no entanto, que qualquer procedimento contra este país tem que "ser decidido pela Comissão Europeia".

A presidente da Comissão, Ursula von der Leyen, afirmou que a nova legislação adotada na Hungria é "uma vergonha" que viola os valores fundamentais da União Europeia.

© Agence France-Presse

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE