Morte

Fundador da McAfee é encontrado morto aparentemente por suicídio em prisão espanhola

Corpo de John McAfee em sua cela nesta quarta-feira (23/6) após Audiência Nacional aprovar sua extradição para os EUA

Agência France-Presse
postado em 23/06/2021 18:08 / atualizado em 23/06/2021 22:02
 (crédito: John McAfee / FRED DUFOUR / D.A PRESS)
(crédito: John McAfee / FRED DUFOUR / D.A PRESS)

O criador do antivírus McAfee, John McAfee, foi encontrado morto nesta quarta-feira (23) em sua cela em uma prisão espanhola, aparentemente por suicídio, horas depois que o Tribunal Nacional aprovou a extradição para seu país de origem, os Estados Unidos, informou uma porta-voz oficial.

"Ele foi encontrado morto em sua cela aparentemente por suicídio", disse a porta-voz do sistema penitenciário da Catalunha (nordeste), sem maiores detalhes.

John McAfee era acusado de fraude fiscal nos Estados Unidos. O empresário de 75 anos foi encontrado morto em sua cela na prisão de Brians 2, perto de Barcelona.

Depois de fazer fortuna com seu antivírus na década de 1980, McAfee se tornou um guru das criptomoedas e era seguido por quase um milhão de pessoas no Twitter.

Ele foi preso em outubro de 2020 no aeroporto de Barcelona após ser acusado por um procurador dos Estados Unidos de não ter declarado milhões de dólares de receita com a promoção de criptomoedas, serviços de consultoria, conferências e direitos vendidos para um documentário sobre sua vida.

As autoridades norte-americanas emitiram um mandado de prisão pela Interpol e solicitaram sua extradição.

A autorização do juiz espanhol para sua extradição ainda podia ser apelada e precisava ser aprovada pelo governo espanhol.

John McAfee se viu no centro de uma polêmica em 2012, quando seu vizinho em Belize, um pequeno país da América Central, foi encontrado misteriosamente assassinado em um caso que ainda não foi resolvido.

A polícia descobriu que ele morava com uma garota de 17 anos e possuía armas em sua casa.

McAfee fugiu por meses e em 2015 foi preso nos Estados Unidos por dirigir sob a influência de entorpecentes. Em 2019 ele deixou o território americano novamente.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE