Bullying

Compositor de tema da abertura de Tóquio-2020 renuncia após polêmica

O caso afeta ainda mais a imagem das Olimpíadas, que já são alvo da hostilidade da opinião pública japonesa, preocupada com o avanço da pandemia da covid-19

Agência France-Presse
postado em 19/07/2021 12:24
 (crédito: Philip FONG / AFP)
(crédito: Philip FONG / AFP)

O músico japonês Keigo Oyamada, que compôs um dos temas da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, que acontece na sexta-feira (23/7), apresentou sua renúncia nesta segunda-feira (19/7) por ter praticado "bullying" com pessoas com deficiência, quando era estudante.

"Apresentei minha demissão ao Comitê Organizador", disse ele em sua conta no Twitter.

"Levei em consideração as observações e as opiniões das pessoas que se manifestaram (...) Apresento minhas sinceras desculpas", acrescentou.

"Me dei conta, dolorosamente, que havia faltado com o respeito a muitas pessoas, ao aceitar a oferta de dar minha contribuição musical para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio-2020", completou.

Desde a semana passada vieram à tona vários trechos de entrevistas concedidas por ele a revistas japonesas sobre música, nos anos 1990.

Nelas, Oyamada admitiu, sem remorsos, que assediou colegas de classe com deficiência quando era jovem. E fez isso durante anos.

Alguns de seus atos foram extremamente violentos. Ele teria, por exemplo, forçado suas vítimas a se masturbarem em público, ou a comerem seus excrementos.

Durante o fim de semana, o músico pediu desculpas, mas sem abrir mão do cargo.

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Tóquio-2020 considerou o caso "inapropriado". Em parte, no entanto, defendeu o artista, insistindo em que ele manifestou seu arrependimento e em seu "importante papel" na criação artística da cerimônia de abertura.

O caso afeta ainda mais a imagem dos Jogos Olímpicos, que já são alvo da hostilidade da opinião pública japonesa, preocupada com o avanço da pandemia da covid-19.

Em março deste ano, o diretor artístico das cerimônias de abertura e de encerramento dos Jogos Olímpicos, Hiroshi Sasaki, já havia renunciado por ter sugerido, internamente, disfarçar de porco a atriz e estrela japonesa das redes sociais Naomi Watanabe.

E, em fevereiro, o presidente do Comitê Organizador dos Jogos, o ex-primeiro-ministro japonês Yoshiro Mori, também teve de deixar o cargo por declarações sexistas que provocaram protestos ao redor do mundo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE