Rússia X Ucrânia

"Nossas tropas não vão combater na Ucrânia", afirma Biden em pronunciamento

Presidente norte-americano indica que respostas mais severas serão tomadas somente se os aliados da Otan forem atacados

Camilla Germano
postado em 24/02/2022 17:47 / atualizado em 24/02/2022 18:14
 (crédito: Brendan Smialowski / AFP)
(crédito: Brendan Smialowski / AFP)

Nesta quinta-feira (24/2), o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, fez um pronunciamento oficial criticando o ataque “sem provocações e sem justificativa” da Rússia à Ucrânia na madrugada desta quinta. Joe Biden anunciou também novas sanções e confirmou um encontro com líderes de 30 nações aliadas e parceiros para afirmar solidariedade e mapear os próximos passos que serão tomados.

Biden anunciou que tropas serão enviadas para a Estônia, Letônia e Lituânia, todos países que fazem parte da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), e que também fazem fronteira com a Rússia. Essa medida segue com a fala de que os Estados Unidos e aliados vão proteger todos os territórios deles.

Isso indica também que os EUA não pretendem enviar tropas para a Ucrânia. “Nossas forças armadas não vão para a Europa combater na Ucrânia, mas para defender nossos aliados da Otan e tranquilizar estes aliados do Leste", afirmou Joe Biden. “Como eu já deixei claro, os Estados Unidos vão defender cada milímetro do território nativo com força total de poder americano (...) Um ataque a um é um ataque à todos”, afirmou ele em referência aos aliados da Otan.

Confira o pronunciamento na íntegra: 

 

A Otan também anunciou que vai enviar tropas de defesa, mas que essas forças militares não serão direcionadas ao território ucraniano.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE