ALERTA

Terremoto no Japão: alerta de tsunami se estende a Rússia e Coreia do Sul

Uma longa série de sismos, de magnitude até 7,6, sacudiu o centro do Japão nesta segunda-feira (1°/1)

Um membro da Guarda Costeira da Coreia do Sul patrulha uma praia em Gangneung em 1º de janeiro de 2024, após a emissão de um aviso de tsunami devido a um terremoto significativo no Japão -  (crédito: AFP)
Um membro da Guarda Costeira da Coreia do Sul patrulha uma praia em Gangneung em 1º de janeiro de 2024, após a emissão de um aviso de tsunami devido a um terremoto significativo no Japão - (crédito: AFP)
postado em 01/01/2024 11:29

Cidades costeiras da Coreia do Sul e do extremo oriente da Rússia entraram em alerta para a possibilidade de ondas de tsunami nesta segunda-feira, 1º, após uma série de fortes terremotos abalarem o Japão.

"As áreas costeiras da costa ocidental de Sakhalin podem ser afetadas pelas ondas do tsunami", alertou o Ministério de Situações de Emergência da Rússia no Telegram. As autoridades de Vladivostok, uma importante cidade portuária russa, aconselharam os pescadores a regressar ao porto. Até a publicação desta matéria, não houve a retirada de moradores dessas cidades.

Na vizinha Coreia do Sul, a agência meteorológica pediu aos residentes de algumas cidades costeiras do leste a ficarem atentos a possíveis mudanças no nível do mar. As ondas de tsunami que ocorrem mais tarde podem ser maiores que as iniciais.

Uma longa série de sismos, de magnitude até 7,6, sacudiu o centro do Japão nesta segunda-feira. O país está sob alerta para o risco de ondas de tsunami que podem atingir cinco metros, informaram as autoridades japonesas.

As autoridades japonesas pediram à população que se abrigasse em locais seguros devido ao risco de ondas gigantes. "Todos os residentes devem se mudar imediatamente para áreas mais altas", apelou o canal de televisão nacional NHK. "Temos consciência de que suas casas e pertences são muito queridos para vocês, mas suas vidas são mais importantes do que qualquer outra coisa. Corram para as áreas mais altas possíveis", exortou o apresentador.

30 mil casas sem luz

Pouco depois, as primeiras ondas do tsunami atingiram a costa, anunciou a agência meteorológica japonesa. As primeiras ondas, com altura de aproximadamente 1,20 metro, atingiram a cidade de Wajima, cerca de 500 quilômetros a oeste de Tóquio, por volta das 16h21 (horário local, 4h21 de Brasília).

Nenhum dano foi relatado até agora devido ao aumento das águas, mas mais de 30 mil casas estão sem eletricidade em Ishikawa, assim como outras 3.600 na vizinha Niigata, em consequência do terremoto e dos vários tremores secundários. Um grande incêndio também foi deflagrado na cidade de Wajima como resultado dos tremores.

Várias estradas da costa oeste também registraram danos significativos e permanecem fechadas, enquanto imagens publicadas nas redes sociais mostram casas completamente destruídas em Ishikawa. Os serviços ferroviários também foram suspensos no nordeste do país e no centro e no norte da costa oeste. (Com agências internacionais).

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

-->