Japão

Japão: passageiros tiveram 90 segundos para deixar avião que pegou fogo

Em meio ao desespero, todos os tripulantes da aeronave conseguiram deixar o avião. Já cinco das seis pessoas a bordo do avião da Guarda Costeira estão mortas e o capitão ficou gravemente ferido

Os passageiros tiveram 90 segundos para seguir o plano de evacuação e deixar o avião em meio à fumaça que tomou conta da cabine -  (crédito: JIJI PRESS / AFP / Japan OUT)
Os passageiros tiveram 90 segundos para seguir o plano de evacuação e deixar o avião em meio à fumaça que tomou conta da cabine - (crédito: JIJI PRESS / AFP / Japan OUT)
postado em 02/01/2024 13:37

Um avião da Japan Airlines com 367 passageiros e 12 tripulantes pegou fogo logo após pousar no aeroporto de Haneda, no Japão. No momento do pouso, a aeronave colidiu em um avião da Guarda Costeira. Os passageiros tiveram 90 segundos para seguir o plano de evacuação que ocorreu de forma coordenada e deixar o avião em meio à fumaça que tomou conta da cabine. Imagens da CNN Internacional mostraram o momento em que o avião foi tomado pelas chamas e os ocupantes saíram pelos escorregadores de emergência nas laterais do avião.

Segundo o jornal japonês NHK, o Departamento de Polícia Metropolitana confirmou que cinco das seis pessoas a bordo do avião da Guarda Costeira estão mortas e o capitão ficou gravemente ferido. Eles seguiam para o oeste do Japão, para entregar suprimentos após o terremoto que assolou a região nesta segunda-feira (1º/1).

Uma das hipóteses levantadas para a tragédia é a de que tenha ocorrido falha de comunicação com a torre de controle, já que as duas aeronaves estavam na pista ao mesmo tempo. Segundo o The New York Times, a aeronave comercial partiu do aeroporto de New Chitose, perto da cidade de Sapporo, na ilha de Hokkaido.

 

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
-->