JAPÃO

Aeroporto de Tóquio volta à normalidade após acidente

Os 379 passageiros e tripulantes foram retirados com vida do avião da JAL em chamas

Destroços queimados de um avião de passageiros da Japan Airlines (JAL) na pista do Aeroporto Internacional de Tóquio, em Haneda -  (crédito: Richard A. Brooks / AFP)
Destroços queimados de um avião de passageiros da Japan Airlines (JAL) na pista do Aeroporto Internacional de Tóquio, em Haneda - (crédito: Richard A. Brooks / AFP)
postado em 08/01/2024 12:25

O aeroporto de Haneda, em Tóquio, retomou a normalidade de suas operações nesta segunda-feira (8), seis dias após uma colisão entre um avião comercial e uma aeronave pequena que deixou cinco mortos, informaram as autoridades.

"A pista C retomou as operações hoje (segunda-feira)", assim que o aeroporto voltou à normalidade, disse uma porta-voz do Haneda à AFP.

A pista onde ocorreu o acidente, uma das quatro do Haneda, esteve fechada desde que o avião da Japan Airlines (JAL) colidiu com um pequeno avião da Guarda Costeira.

Os 379 passageiros e tripulantes foram retirados com vida do avião da JAL em chamas, enquanto cinco dos seis ocupantes do outro avião morreram.

O fechamento da pista provocou o cancelamento de centenas de voos, em sua maioria domésticos, em um dos aeroportos mais movimentados do mundo.

Funcionários eliminaram os destroços carbonizados dos aviões, enquanto investigadores do Japão, França, Reino Unido e Canadá analisam o que aconteceu.

Uma transcrição das comunicações divulgadas pelo Ministério de Transportes sugere que o avião da guarda costeira foi instruído a parar e que o avião da JAL recebeu autorização para pousar.

Mas o piloto da Guarda Costeira, o único sobrevivente deste avião, pensou ter autorização para avançar para a pista, onde permaneceu 40 segundos antes da colisão, segundo a imprensa.

Tags

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

-->