ELEIÇÕES EUA

Trump vence primárias republicanas em Iowa com vantagem expressiva

Por volta das 7h20 desta terça-feira (horário de Brasília), a imprensa americana bateu o martelo da vitória de Trump em Iowa com 51% da preferência dos eleitores

O ex-presidente e candidato à Presidência Donald Trump ao chegar para discursar em uma festa durantes as convenções republicanas de Iowa       -  (crédito: Jim WATSON / AFP)
O ex-presidente e candidato à Presidência Donald Trump ao chegar para discursar em uma festa durantes as convenções republicanas de Iowa - (crédito: Jim WATSON / AFP)
postado em 16/01/2024 07:28

Donald Trump se consolidou como o grande favorito dos republicanos para as eleições presidenciais de novembro nos Estados Unidos ao vencer, nesta segunda-feira (15), seus rivais Nikki Haley e Ron DeSantis nas primárias do estado de Iowa, em meio a uma forte nevasca, segundo projeções divulgadas pela imprensa americana.

Cerca de 30 minutos após o início da votação, CNN e CBS previram a vitória de Trump, sem especificar por quanto. 

Por volta das 7h20 desta terça-feira (horário de Brasília), a imprensa americana bateu o martelo da vitória de Trump em Iowa com 51% da preferência dos eleitores. O conservador DeSantis ficou em segundo lugar, com 21,2%. Por último, a ex-embaixadora da ONU Nikki Haley, com 19,1%.

Iowa tem grande peso na campanha, pois se Trump não conseguisse a vitória que esperava, sua imagem de favorito incontestável poderia ser prejudicada pelo resto da corrida.

Reconhecimento de Biden

A vitória de Donald Trump em Iowa o converte no "claro favorito" dos republicanos para as eleições presidenciais, afirmou na segunda-feira o presidente Joe Biden, que aspira a reeleição.

"Parece que Donald Trump acaba de ganhar Iowa. É o claro favorito do outro lado agora", disse no X, em uma mensagem para arrecadar fundos.

Votação

Às 19h00 locais (22h00 de Brasília), os eleitores começaram a se reunir em escolas, bibliotecas e quartéis de bombeiros deste estado do centro-oeste para os famosos "caucus" ou assembleias eleitorais.

Após uma oração e o tradicional juramento de lealdade à bandeira dos Estados Unidos, os representantes dos candidatos fizeram um discurso e, em seguida, os participantes registraram sua escolha em uma folha de papel.

Pela primeira vez desde sua fracassada tentativa de se reeleger em 2020, Trump - processado em quatro ações penais, que vão da apropriação de documentos secretos até a tentativa de anular sua derrota eleitoral de 2020 - enfrentou o veredicto dos eleitores.

O ex-presidente (2017-2021) tem uma ampla vantagem nas pesquisas de quase 50% das intenções de voto sobre seus principais adversários do partido. Isso o torno o favorito para disputar a presidência dos EUA contra o presidente democrata, Joe Biden, em novembro.
"Acredito que vamos ter uma grande noite", disse Trump em um vídeo publicado nas redes sociais.

Iowa abre o caminho

A partir da próxima semana, o calendário das primárias levará os candidatos, incluindo o empresário de biotecnologia Vivek Ramaswamy, a New Hampshire. Eles seguirão para os outros estados até junho.
Em julho, durante a convenção nacional, o candidato presidencial republicano será oficialmente nomeado.
Donald Trump quer derrotar a concorrência antes que seus julgamentos comecem, alguns dos quais o expõem a penas de prisão.

O republicano viverá um ano fora do comum em todos os sentidos, com idas e vindas nos tribunais.
Enquanto isso, os democratas também realizam primárias, mas sem muito mistério.
Salvo surpresa de última hora, o presidente octogenário Joe Biden, que já conta com um forte apoio de seu partido, será designado em agosto como o candidato democrata, apesar das críticas à sua idade avançada.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

-->