PERSEGUIÇÃO

Investigadores russos não determinam causa da morte de Navalny

Há suspeitas de que o militante contra Putin havia sido assassinado. Resultados de novo exame ao qual o corpo será submetido ficam disponíveis semana que vem

Alexei Navalny era um dos principais opositores do presidente da Rússia, Vladimir Putin -  (crédito: Reprodução/WikiCommons)
Alexei Navalny era um dos principais opositores do presidente da Rússia, Vladimir Putin - (crédito: Reprodução/WikiCommons)
postado em 17/02/2024 15:11

Advogados do opositor do presidente da Rússia, Vladimir Putin, Alexei Navalny — morto na sexta-feira (16/2) na cadeia — declararam que os investigadores russos ainda não determinaram a causa do seu óbito. Navalny era um dos principais opositores de Putin e estava preso há três anos em uma penitenciária na região russa de Yamalo-Nenets. 

Há suspeitas de que o militante havia sido assassinado pelo governo Putin. O porta-voz do ativista, Kira Yarmish, afirmou nas redes sociais que os investigadores afirmaram também que os resultados de um novo exame ao qual o corpo será submetido só estarão disponíveis na próxima semana. A porta-voz acusou os funcionários de "mentirem" para reter o corpo e evitar entregá-lo à família. 

Quem era Alexei Navalny

Político e advogado de 47 anos, Alexei Navalny ganhou notoriedade ao acusar o presidente Putin de corrupção por meio de sátiras. Ele liderou um movimento contra o líder russo que, em 2010, levou milhares de pessoas às ruas do país. Navalny foi preso pela polícia russa em 2021, após retornar da Alemanha, por suspeita de envenenamento.

Navalny foi sentenciado à prisão até completar 74 anos. Segundo ele, as acusações foram forjadas para mantê-lo afastado da política. Em 2016, Navalny anunciou ser candidato a presidente da Rússia. Porém, a Comissão Eleitoral Central do país informou que ele não poderia concorrer devido a uma condenação na Justiça.

A eleição foi em 2018. Naquele ano, milhares de pessoas protestaram em toda a Rússia contra a eleição na qual o atual presidente, Vladimir Putin, foi eleito pela quarta vez. A manifestação, convocada por Navalny, foi chamada de "greve de eleitores".

*Com informações da AFP

Saiba Mais

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação