CRIME

Bispo australiano é acusado 14 vezes por estupro e atentado ao pudor

O arcebispo de Perth e presidente da Conferência dos Bispos Católicos Australianos, Timothy Costelloe, afirmou que as denúncias são "profundamente preocupantes"

MAIS LIDAS

A polícia informou que o religioso recebeu 14 acusações de atentado ao pudor e duas acusações de penetração sexual sem consentimento -  (crédito: Reprodução/Freepik)
A polícia informou que o religioso recebeu 14 acusações de atentado ao pudor e duas acusações de penetração sexual sem consentimento - (crédito: Reprodução/Freepik)
postado em 22/02/2024 13:18 / atualizado em 22/02/2024 13:18

A polícia australiana acusou o bispo emérito Christopher Alan Saunders, um dos principais líderes católicos do país, de estupro e atentado ao pudor. 

O bispo emérito foi detido na quarta-feira à noite no estado da Austrália Ocidental após uma investigação interna do Vaticano que acionou a polícia que investiga crimes de abuso infantil.

A polícia informou que o religioso recebeu 14 acusações de atentado ao pudor e duas acusações de penetração sexual sem consentimento, um termo jurídico para estupro.

O homem de 74 anos, que deve comparecer a um tribunal nesta quinta-feira, também enfrenta três acusações de "comportamento indecentemente com um menor de idade" de entre 16 e 18 anos.

O arcebispo de Perth e presidente da Conferência dos Bispos Católicos Australianos, Timothy Costelloe, afirmou que as denúncias são "profundamente preocupantes".

"É correto e apropriado, e na verdade necessário, que todas as denúncias sejam investigadas de maneira profunda", afirmou Costelloe e um comunicado.

Os documentos judiciais demonstram que os supostos crimes de Saunders aconteceram entre 2008 e 2014.

Saunders comandou por mais de 20 anos a diocese de Broome, uma região do noroeste da Austrália com várias comunidades aborígenes em áreas remotas.

Ele renunciou em 2020 ao cargo de bispo, depois que a imprensa local publicou as primeiras denúncias de abuso sexual, mas continuou com o título de "bispo emérito".

Uma investigação policial preliminar não encontrou evidências suficientes para acusar Saunders, que nega as denúncias.

Porém, com os rumores persistentes entre o clero, o Vaticano iniciou em 2022 sua própria investigação, com base nas novas atribuições estabelecidas pelo papa Francisco.

Os poderes "Vos estis lux mundi" (Você é a luz do mundo, em latim) foram criados em 2019 para ajudar a Igreja a investigar as denúncias de abuso sexual nos níveis mais elevados da instituição.

As descobertas da Igreja foram compartilhadas coma polícia, que reabriu a investigação.

O falecido cardeal australiano George Pell foi detido por acusações de abuso sexual em 2019, mas as condenações foram anuladas no ano seguinte.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br