AFP Textos

Talibãs executam dois condenados por assassinato em estádio de futebol

Presentes no estádio, as famílias das vítimas se recusaram a perdoar os dois réus, uma possibilidade contemplada na lei islâmica

Os dois homens foram executados com vários tiros nas costas na cidade de Ghazni -  (crédito:  AFP)
Os dois homens foram executados com vários tiros nas costas na cidade de Ghazni - (crédito: AFP)
postado em 22/02/2024 11:54 / atualizado em 22/02/2024 11:54

Dois homens condenados por assassinato foram executados em público no Afeganistão nesta quinta-feira (22/2), em um estádio de futebol da cidade de Ghazni, na região leste do país. Milhares de homens compareceram ao estádio para assistir as execuções.

"As duas pessoas foram condenadas por assassinato (...) após dois anos de processo nos tribunais do país. A ordem (de execução) foi assinada pelo líder supremo do país, Hibatullah Akhundzada", anunciou à multidão um alto representante da Suprema Corte, Atiqullah Darwish.

Presentes no estádio, as famílias das vítimas se recusaram a perdoar os dois réus, uma possibilidade contemplada na lei islâmica.

O governo afegão não revelou detalhes sobre os condenados, nem sobre os crimes.

As execuções públicas eram frequentes durante o primeiro regime Talibã, entre 1996 e 2001. Os condenados eram executados com tiros ou apedrejados, em função dos crimes.

Desde que o movimento Talibã retornou ao poder em Cabul, em agosto de 2021, outras duas execuções aconteceram em público, ambas de condenados por assassinato.

A última execução havia acontecido em junho do ano passado na província de Laghman, leste do país. Um homem condenado por assassinar cinco pessoas foi executado a tiros em uma mesquita, diante de quase 2.000 pessoas.

As autoridades também organizaram açoitamentos públicos por outros crimes, como roubo, adultério e consumo de álcool.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br