JAPÃO

Japão tenta acalmar temores da população após surto de infecção bacteriana

Ondas de infecções por estreptococos também ocorreram em 2022-2023 na Europa, América do Norte e Austrália

Japão -  (crédito: Philip FONG / AFP)
Japão - (crédito: Philip FONG / AFP)
postado em 01/04/2024 22:10

O governo japonês tenta acalmar os temores ligados a um recente surto de infecções graves causadas por uma bactéria. Entre o início do ano e 13 de março, o Japão registrou 474 casos de síndrome do choque tóxico estreptocócico (STSS), uma forma de infecção grave causada pela bactéria estreptococo do grupo A (GAS), segundo o instituto de doenças infecciosas do Japão.

Para efeito de comparação, 941 casos foram registrados em todo o ano de 2023.

A Coreia do Norte informou ao Japão na quinta-feira que não poderia receber em seu território uma partida das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2026 entre as duas seleções, segundo a Federação Japonesa de Futebol.

Pyongyang não especificou o motivo, mas acredita-se que a epidemia no Japão seja a causa, segundo a agência de notícias japonesa Kyodo.

O porta-voz do governo japonês, Yoshimasa Hayashi, se recusou a comentar a decisão de Pyongyang nesta sexta-feira, mas insistiu que o Japão não é o único país afetado.

Desde o fim da pandemia de covid-19, "o número de pacientes com infecções nas vias respiratórias aumentou em vários países, incluindo o Japão", declarou Hayashi na sua coletiva de imprensa regular.

Ondas de infecções por estreptococos do grupo A também ocorreram em 2022-2023 na Europa, América do Norte e Austrália.

Esta bactéria é transmitida principalmente por contato direto com secreções corporais.

O Ministério da Saúde japonês já fez um apelo geral à população em janeiro para continuar tomando precauções, como lavar as mãos regularmente e usar máscara em locais públicos com aglomerações.

Tags

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação