Editorial

Visão do Correio: Um grande viva a Brasília

Correio Braziliense
postado em 21/04/2022 06:00 / atualizado em 21/04/2022 16:41

Brasília completa hoje 62 anos com um banquete de conquistas e muitos desafios. É inegável que, desde a sua criação, a capital do país construiu uma personalidade única, que a torna tão amada e, ao mesmo tempo, tão questionada pelo poder que emana de suas instituições. Com sua pujança, enfrenta problemas característicos de todas as grandes metrópoles, mas continua acolhedora como na época de sua fundação, em que cidadãos de todos os cantos do Brasil se dispuseram a tornar realidade um projeto que mudou a cara da nação. É a cidade de todos.

Como dizia o urbanista Lucio Costa, um de seus idealizadores, Brasília é uma "cidade planejada para o trabalho ordenado e eficiente, mas, ao mesmo tempo, cidade viva e aprazível, própria ao devaneio e à especulação cultural, capaz de tornar-se, com o tempo, além de centro de governo e administração, num foco de cultura dos mais lúcidos e sensíveis do país". Sessenta e dois anos depois, a efervescência e a criatividade estão por todos os lados. Ao mesmo tempo em que é referência em tecnologia, saúde e educação, Brasília emana todos os sons musicais, encanta com sua gastronomia, reforça a tradição de seus clubes, não cansa de revelar talentos no esporte, diferencia-se pelos laços tão fortes de vizinhança.

Não é só. Encravada no celeiro do mundo, o Centro-Oeste brasileiro, a capital marcada pelos traços de Oscar Niemeyer registra a maior produtividade por hectare plantado de soja, trigo e milho. Sua diversidade se reflete também nas lavouras, com produção de uvas, vinhos, café, frutas, verduras. Talvez esteja aí um de seus maiores desafios, a preservação ambiental. Brasília já foi submetida a um pesado racionamento, embora seja o berço das águas. É urgente, portanto, que o processo de ocupação que ainda está em curso se dê de forma ordenada. Crescer é vital, mas é necessário preservar o maior dos ganhos para aqueles que vivem na cidade, a qualidade de vida. Brasília requer cuidados. Que todos façam a sua parte.

As transformações pelas quais passou a capital sonhada por Juscelino Kubistchek — todas elas registradas em detalhes nas páginas deste Correio, que também completa 62 anos neste 21 de abril — reforçam os compromissos de que o futuro para nossos filhos e netos será ainda melhor. Disse Juscelino: "Brasília é a manifestação inequívoca de fé na capacidade idealizadora dos brasileiros, triunfo de espírito pioneiro, prova de confiança na grandeza deste país, ruptura completa com a rotina e o compromisso". Que as novas gerações, além do orgulho de serem brasilienses, jamais abram mão dos princípios que nortearam a cidade chancelada há mais de três décadas como patrimônio mundial da humanidade.

Os próximos anos serão determinantes para definir que Brasília teremos. Muitos dos problemas que nos afligem, como a violência e o crescimento desordenado, não vêm de hoje. Contudo, os brasilienses, que estão na terceira geração, e todos aqueles que aqui fincaram raízes deverão fazer as escolhas certas. Não há espaço para retrocessos. A Brasília dos ipês, dos pomares públicos, do Poder que mexe com a vida de todos, do rock, do rap, do samba, do imenso céu azul merece respeito. Um viva a Brasília.

CONTINUE LENDO SOBRE