futebol

Marcos Paulo Lima: Os discursos do Rei

Marcos Paulo Lima
postado em 23/04/2022 06:00
 (crédito: FRANCK FIFE )
(crédito: FRANCK FIFE )

Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé, tem 8,8 milhões de seguidores no Instagram. Outros 2,8 milhões no Twitter. Súditos do craque de 81 anos no mundo inteiro acompanham diariamente nas redes sociais a luta do melhor jogador de todos os tempos contra um tumor no cólon direito, na região do intestino grosso, diagnosticado em setembro do ano passado. Oram por ele.

Os discursos do Rei mostram, cada vez mais, o seu perfil humano. Um homem capaz de admitir a dor do tratamento contra o câncer, mas também de enxergar na família o apoio necessário para combater e resistir a enfermidade.

Ontem, um dia depois de receber alta do Albert Einstein, em São Paulo, "em condições clínicas boas e estáveis" segundo o boletim médico assinado por Fabio Nasri (geriatra e endocrinologista), Rene Gansl (oncologista) e Miguel Cendoroglo Neto (diretor do hospital), Pelé celebrou: "A paz de estar ao lado da minha esposa, Márcia, e nossa companheira inseparável, Cacau (cadela de estimação). O tratamento é difícil, mas sentir o amor delas é o melhor remédio. Lar, doce lar", publicou o tricampeão da Copa do Mundo em 1958, 1962 e 1970.

Pelé também usou as contas nesta semana para confirmar de uma forma bem-humorada o fim da parceria de 50 anos com José Fornos Rodrigues. "Meu grande amigo, Pepito. "Você sempre me disse que tinha os cabelos brancos por minha causa, então, espero que, agora, eles recuperem a cor natural. Eu continuarei a trabalhar normalmente, pois ainda tenho mais alguns sonhos para realizar e pretendo jogar mais algumas partidas. Muito obrigado por tudo, e aproveite a sua aposentadoria."

Apesar do fim da relação profissional, Pepito continua sendo, para Pelé, o que Dorval, Mengálvio, Coutinho e Pepe significam para o Rei. Parceiros inseparáveis do histórico quinteto de ataque do Santos. Entendiam-se no olhar.

Pelé passa a jogar sem Pepito, mas tem na retaguarda um time entrosado para tocar as redes sociais. Obviamente, ele não fica o tempo inteiro com o aparelho nas mãos. Quando Pelé repousa, um time liderado pelo estadunidense Joe Fraga, que trabalhou com o ex-presidente Bill Clinton, entra em campo. Ele conhece Pelé há quase 20 anos. Como contou o amigo Martín Fernandez, em fevereiro do ano passado, foram contratados a agência Rebel Ventures, que atende o Real Madrid, Barcelona e times da NBA, e os jornalistas brasileiros Rafael Dias Borges e Caio Correa.

Pelé jamais abriu mão do profissionalismo. Tem feito discursos tocantes, como o da Semana Santa. "Nesta Páscoa, só quero pedir paz no mundo. É muito triste ver tantas vidas perdidas em uma guerra sem sentido. Desejo que Deus habite o coração de todos e que possamos ter mais amor ao próximo."

Sigo na torcida por mais discursos de Pelé. Vida longa ao Rei! Na alegria e na tristeza. Na saúde e na doença.

CONTINUE LENDO SOBRE