PANTANAL

Bolsonaro defende ministra por dizer que "boi é o bombeiro do Pantanal"

Na sexta-feira, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, declarou que "o boi é o bombeiro do Pantanal" e que as queimadas no bioma poderiam ser menores se houvesse mais gado

Augusto Fernandes
postado em 10/10/2020 22:11
 (crédito: Marcos Corrêa/PR)
(crédito: Marcos Corrêa/PR)

Um dia após a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, sugerir que as queimadas no Pantanal poderiam ser menores caso houvesse mais gado no bioma, o presidente Jair Bolsonaro saiu em defesa da integrante do governo. Em transmissão ao vivo nas redes sociais, neste sábado (10/10), o presidente reforçou a teoria do "boi bombeiro" apresentada por Tereza Cristina durante uma audiência pública no Senado na sexta-feira (9/10), quando ela disse que "aconteceu um desastre porque nós tínhamos muita matéria orgânica seca, e, talvez, se nós tivéssemos um pouco mais de gado no Pantanal, teria sido um desastre até menor do que o que nós tivemos neste ano". 

"No Pantanal, você sempre pôde criar boi à vontade. E boi come capim. (O capim) uma vez seco, pega fogo. Então, o boi comia capim e não ia pegar fogo. Daí, os ambientalistas xiitas proibiram (a pecuária no Pantanal), e agora, passa um ou dois anos sem pegar fogo em nada. Aí, acumula uma massa de combustível enorme e quando pega fogo na frente é uma desgraça", disse Bolsonaro.

Na transmissão, o presidente também falou sobre as dificuldades de se combater os incêndios no bioma, muito por conta da extensão do Pantanal. "Sabe o tamanho do Pantanal? O Pantanal é maior do que quatro estados brasileiros juntos: Rio de Janeiro, Espírito Santo, Sergipe e Alagoas. Como vai combater fogo num lugar desse? E outra, não tem vias de acesso. O próprio nome diz: Pantanal", analisou Bolsonaro.

Culpa do "caboclo"

O presidente fez a live ao lado de uma apoiadora, chamada Alessandra Gonçalves. Além de abordarem as queimadas no Pantanal, os dois falaram dos incêndios na Amazônia. Em determinado momento, a mulher disse que "tem muita gente que faz de propósito", e Bolsonaro acrescentou que uma parte considerável dos focos de calor são causados pelo "caboclo, o nativo". 

Além disso, o o presidente voltou a dizer que "a Floresta Amazônica não pega fogo porque é úmida". "Quanto mais pessoas reverberam isso, como se eu fosse o responsável, o pessoal de fora se amarra. Tem muitos países europeus que o que interessa para eles é nos difamar", reclamou Bolsonaro.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação