ELEIÇÕES

Eleições ocorrem em meio a problemas no e-título, ataque hacker e prisões

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso fez um balanço da primeira metade do dia nas eleições. Um total de 30 candidatos e 36 eleitores foram presos por boca de urna e propaganda ilegal

Luiz Calcagno
postado em 15/11/2020 16:20 / atualizado em 15/11/2020 20:31
 (crédito: Reprodução)
(crédito: Reprodução)

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso, deu coletiva no início da tarde deste domingo (15/11), para fazer um balanço das eleições. As votações seguem até as 17h e a previsão é que, às 20h, Barroso volte a se pronunciar. Até por volta de 15h, 561 mil eleitores tinham justificado ausência. Para especialistas, há uma expectativa de analistas políticos que a conjunção entre a pandemia e o desalento político faça crescer o número de ausências. Mas, o magistrado afirmou que a expectativa é que esse número permaneça na média, cerca de 20%.

O magistrado também comentou os problemas no e-título. Afirmou que mais de 3 milhões de brasileiros baixaram o aplicativo, o que causou congestionamento no tráfego de informação. O ministro garantiu que os eleitores conseguiram se identificar e que o problema afetou apenas a busca pela seção eleitoral. Nesse caso, porém, segundo Barroso, os eleitores não teriam dificuldade de encontrar, pois as sessões só teriam mudado de sala nos prédios, mas não de um endereço para outro.

Barroso defendeu que o eleitor não baixou na última hora, pois tem o direito de baixar dentro do prazo do processo eleitoral. "Houve instabilidade pela grande quantidade de acessos a informações sobre o local de votação, que é uma das vias para pegar a informação, e se presta para a justificativa para que se esteja fora de seu local de votação por georreferenciamento. Nesses dois casos, a quantidade de acessos produziu instabilidade no sistema", disse.

O TSE também foi alvo de um ataque hacker. Um grupo ainda não identificado tentou congestionar o sistema com muitos acessos ao mesmo tempo, mas foi neutralizado por técnicos do Tribunal. Segundo o ministro, sem prejuízos ao processo. Ele afirmou que notícias de vazamentos de dados divulgados na imprensa não ocorrerão neste domingo. O magistrado disse não saber precisar se o vazamento ocorreu há 10 dias, ou há vários anos, já que ocorreu com e-mails com o endereço final “.gov”, que a instituição já não utiliza há anos.

Normalidade

O ministro afirmou ainda que, na primeira parte do dia, as eleições ocorreram com normalidade. Ele conversou com os presidentes dos tribunais regionais eleitorais de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas e Bahia, os maiores colégios eleitorais do Brasil, e o ministro Edson Fachn conversou com o desembargador do TRE do Paraná. Já o presidente do TRE do Amapá está em constante contato com o TSE. No estado, somente a capital, Macapá, teve as eleições adidas. Mas, de acordo com Barroso, o processo transcorre como previsto nos demais municípios.

Urnas

Um total de 1.700 urnas foram substituídas. O percentual equivale a 0,38% do total. De acordo com o centro integrado de monitoramento do TSE, foram 252 ocorrências envolvendo candidatos e eleitores. Um total de 30 candidatos foram presos. Barroso minimizou o dado lembrando que são cerca de 550 mil candidatos concorrendo a cargos de prefeitos e vereadores. As prisões foram por boca de urna ou propaganda ilegal. Outros 36 eleitores foram presos pelo mesmo motivo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE