GOVERNO

Empossado como ministro, Torres diz que é preciso "colocar as pessoas para trabalhar"

Ministro da Justiça e Segurança Pública adota discurso semelhante ao de Bolsonaro. "Tenho muito medo de crises maiores decorrentes de fome, desemprego e outros problemas"

Augusto Fernandes
postado em 06/04/2021 17:35
 (crédito: Marcos Corrêa/PR)
(crédito: Marcos Corrêa/PR)

O delegado da Polícia Federal Anderson Torres tomou posse como ministro da Justiça e Segurança Pública nesta terça-feira (6/4) e fez um discurso em defesa da flexibilização das medidas de isolamento social e de restrição do funcionamento do comércio por conta da pandemia da covid-19.

Segundo ele, “precisamos dar um upgrade nesse momento, trazer de volta a economia desse país, colocar as pessoas para trabalhar”. “Esse país precisa girar para a gente poder sair dessa pandemia. Tenho muito medo de crises maiores decorrentes de fome, desemprego e outros problemas. Nós vamos ajudar a superar tudo isso”, declarou Torres.

O discurso dele é bem parecido ao do presidente Jair Bolsonaro, que já disse temer por um “caos social” no Brasil por conta da proibição ao funcionamento de algumas atividades profissionais. Diante disso, Torres afirmou que “nesse momento, a força da segurança pública tem que se fazer presente, garantindo a todos um ir e vir sereno e pacífico”.

“A Justiça e a Segurança Pública, somadas, são a espinha dorsal da paz e da tranquilidade da nação, principalmente quando se passa por uma crise sanitária mundial como a em que vivemos, que impacta diretamente a economia e a qualidade de vida dos cidadãos brasileiros”, disse.

“Vou estar empenhado 24 horas por dia, sete dias por semana, para ajudar esse país nesse momento difícil. Nós vamos dar uma virada. Contem com o Ministério da Justiça e Segurança Pública para dar essa tranquilidade ao povo brasileiro. Estaremos lá incansavelmente, não só correspondendo, mas superando expectativas”, acrescentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE