Lula em Brasília

Lula chega a Brasília para agenda de quatro dias com políticos

Esta é a primeira viagem política do ex-presidente após decisão do STF que anulou condenações e permitiu que Lula voltasse a ser elegível

Sarah Teófilo
Israel Medeiros
postado em 03/05/2021 18:01 / atualizado em 04/05/2021 16:58
 (crédito: Miguel Schincariol/AFP)
(crédito: Miguel Schincariol/AFP)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a Brasília na tarde desta segunda-feira (3/5) para uma semana cheia de compromissos com políticos de diversas legendas. Esta é a primeira viagem política de Lula após o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmar, em plenário, a anulação de quatro sentenças contra o petista no âmbito da Lava-Jato — do triplex do Guarujá, do sítio de Atibaia e duas relacionadas ao Instituto Lula. Após decisão, o ex-presidente voltou a ser elegível e é um dos nomes cogitados para a disputa do pleito no ano que vem.

A viagem já é um movimento em direção às eleições. Mas no Congresso, aliados estão evitando falar sobre com quem o ex-presidente deverá se reunir, e a agenda não foi divulgada pela assessoria do petista. Oficialmente, ele foi à capital federal para articular um auxílio emergencial de R$600 até o fim da pandemia.

A reportagem apurou, entretanto, que o ex-presidente está buscando conversas com diversas lideranças do Centrão no Congresso Nacional. Foi marcada uma reunião na próxima terça-feira (4) com a bancada do PT no Senado, mas um deputado petista disse ao Correio, na condição de anonimato, que o ex-presidente não deve gastar muito tempo com o PT, com quem se reúne com frequência.

O mesmo foi dito pela vice-líder do PT na Câmara Maria do Rosário (RS), que afirmou que o ex-presidente irá se reunir com lideranças políticas diversas para discutir temas relacionados à vacina contra covid-19 e proteção do Sistema Único de Saúde (SUS), pontuando que com as bancadas do PT o líder petista já conversa com frequência. A agenda está sendo organizada pela deputada Gleisi Hoffmann (PR). Questionada se a reunião envolvia lideranças do Centrão, Maria do Rosário disse apenas que o bloco não é uno. “Muitos eram parlamentares quando ele (Lula) era presidente”, afirmou.

Maria do Rosário ainda ressaltou que Lula não está pensando no pleito de 2022, mas sim na situação da população no âmbito da pandemia. Constava no plano original um encontro com o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19, senador Renan Calheiros (MDB-AL), opositor ao presidente da República, Jair Bolsonaro. Porém, temendo a repercussão negativa, Calheiros optou por recusar o convite, conforme informado por ele à CNN.

Um vice-líder do PT da Casa disse que, na verdade, a decisão por não se encontrarem foi consensual. Lula também achou que não seria prudente, tendo em vista que Calheiros é relator da CPI e isso poderia colocar a sua relatoria sob questionamentos. Segundo este parlamentar, o ex-presidente deverá viajar a Brasília com frequência a partir de agora.

Um outro vice-líder da sigla na Câmara relatou ao Correio que Lula está discutindo com lideranças uma forma de fortalecer uma frente nacional para aquisição de vacinas, e que as reuniões envolvem também encontros com embaixadores. A assessoria de Lula diz que nenhum ex-presidente está na lista de encontros para os próximos dias. Uma reunião com o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi ventilada, mas ainda não foi confirmada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE