CPI DA COVID

Bolsonaro diz que Renan faz "show" na CPI da Covid para derrubá-lo

"Sempre tem alguém picareta, vagabundo, querendo atrapalhar o trabalho daqueles que produzem. Se Jesus teve um traidor, temos um vagabundo inquirindo pessoas de bem em nosso país", emendou o presidente. Mandatário ainda caracterizou como "crime" o que vem acontecendo na comissão

Ingrid Soares
postado em 13/05/2021 12:42 / atualizado em 13/05/2021 12:42
 (crédito: Reprodução / TV Brasil)
(crédito: Reprodução / TV Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (13/5) que o senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid, está "fazendo show" para tirá-lo do poder. O chefe do Executivo ainda caracterizou como "um crime" o que vem acontecendo na comissão e chamou o senador indiretamente de "vagabundo" e "picareta".

"Agradeço a Deus pela minha segunda vida e também a Ele que, pela mãos da grande maioria de vocês, me botaram à frente do Executivo nacional. É difícil? Sabíamos. Não vai ser fácil, sabemos também. Porque sempre tem alguém picareta, vagabundo, querendo atrapalhar o trabalho daqueles que produzem. Se Jesus teve um traidor, temos um vagabundo inquirindo pessoas de bem em nosso país. É um crime o que vem acontecendo nessa CPI", afirmou.

Por fim, o mandatário enviou um recado ao relator Renan Calheiros, dizendo que "só Deus" o tira da cadeira presidencial. "Um recado que eu tenho para esse indivíduo: Se quer fazer um show tentando me derrubar, não fará. Somente Deus me tira daquela cadeira. Temos um compromisso com vocês (população) e devemos lealdade a vocês. Queremos trabalhar. O povo quer liberdade, o povo quer ser feliz e no que depender desse governo, assim será", concluiu.

Momentos antes, durante a declaração de alguns ministros, foi entoada a frase “Renan Vagabundo”. Na fala do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, a frase também foi ovacionada, e Bolsonaro levantou a mão incitando o coro a continuar. “A voz do povo é a voz de Deus”, seguiu o ministro.

Flávio

Na quarta-feira (12), Bolsonaro questionou nas redes sociais se Calheiros, “com mais de 10 inquéritos no STF, tem moral para querer prender alguém?” A visita do presidente ao estado em meio à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19 é vista como uma afronta ao senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da comissão.

No mesmo dia, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) xingou o senador de "vagabundo" durante a sessão do colegiado e após alteração de ânimos, a sessão foi encerrada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE