CPI da Covid

Aziz se irrita e pede que população desconsidere falas de Nise Yamaguchi sobre vacina

Presidente da CPI já informou que a médica, que prega uso de hidroxicloroquina contra covid-19, será convocada e cogitou suspender a sessão desta terça-feira (1º/6) com depoimento da imunologista como testemunha

Sarah Teófilo
postado em 01/06/2021 12:46 / atualizado em 01/06/2021 12:46
 (crédito: Edilson Rodrigues)
(crédito: Edilson Rodrigues)

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19, Omar Aziz (PSD-AM), se irritou nesta terça-feira (1º/6), durante depoimento da médica Nise Yamaguchi, com falas da médica sobre vacina contra covid-19. Ele pediu para que a população desconsiderasse as afirmações de Nise, conhecida por pregar uso de cloroquina contra a doença, apesar de o medicamento não ter eficácia comprovada. “Desconsidere o que ela está falando em relação à vacina. Ela não está certa. Vacina sempre preveniu. É melhor prevenir do que remediar. Isso é histórico”, disse.

O presidente fez o apelo após o relator Renan Calheiros (MDB-AL) apresentar um vídeo do ano passado em que a médica afirma que o chamado tratamento precoce salva vidas. “Não precisa vacinar aleatoriamente toda a população dizendo que é a única solução”, disse ela no vídeo. Renan perguntou se ela mantinha o entendimento, e ela afirmou que considerava que sim. “Uma situação é a prevenção, que é a vacina, e o tratamento precoce é tratamento. Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa”, disse.

Omar afirmou: “A sua voz calma e sua forma de falar convencem as pessoas como se a senhora estivesse falando a verdade. Infelizmente, o que os seus colegas falaram eu retiro completamente. Eles estão equivocados. A senhora está omitindo muita coisa e eu estou alertando que vai ser convocada, e não mais convidada”, avisou. No início da sessão, Aziz havia dito que conversou com médicos colegas de Nise e que ela foi elogiada.

"Vacina salva"

Nesse momento, os senadores cogitaram encerrar a sessão e retomar o depoimento com a convocação da médica. No caso de convocação, a pessoa é obrigada a responder todas as perguntas e pode ser penalizada em caso de mentiras.

“A senhora disse que não precisa vacinar aleatoriamente. Precisa vacinar todos os brasileiros. Não escute o que ela está falando. Todos os brasileiros precisam de vacina. Essa CPI foi criada para isso. Desculpe, essa voz calma convence. Não acreditem nela. Tem que vacinar. A vacina salva, tratamento precoce não salva”, afirmou Aziz.

A médica, por sua vez, rebateu: “Vacinas aleatórias e indiscriminadas têm que ser revistas. O Ministério da Saúde seguiu regras para vacinar. Não saíram vacinando todo mundo ao mesmo tempo”. Ao que Aziz respondeu: “Porque não tem vacina, doutora”.

O presidente disse que não iria “passar o dia inteiro ouvindo a doutora” fazendo propagando enganosa para a população brasileira.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE