ARGENTINA

Bolsonaro reage à fala preconceituosa de Fernández: "Para ele não tem vacina"

Presidente da Argentina afirmou na quarta-feira (9/6) que "brasileiros saíram da selva" e que seus compatriotas vieram de barcos vindos da Europa. Bolsonaro, contudo, contemporizou ao dizer que rivalidade com o país vizinho é "só no futebol"

Ingrid Soares
postado em 10/06/2021 12:13 / atualizado em 10/06/2021 12:19
 (crédito: Alan Santos/PR)
(crédito: Alan Santos/PR)

O presidente Jair Bolsonaro respondeu nesta quinta-feira (10/6) à declaração do presidente da Argentina, Alberto Fernández, que afirmou ontem que “brasileiros saíram da selva” e que seus compatriotas vieram de barcos vindos da Europa. O mandatário ironizou que "não tem vacina" para o líder argentino, mas depois emendou que não existem problemas entre o povo brasileiro e o argentino.

“O presidente da Argentina falou que eles vieram da Europa, de barco, e que nós viemos da selva, né? Eu lembro que logo quando o (ex-presidente da Venezuela Hugo) Chávez morreu, assumiu o (Nicolás) Maduro. Ele falava que conversava com os passarinhos que estavam encarnados na figura do Chávez. Acho que o Maduro e o Fernandez, para eles não têm vacina, tá ok?”, disse rindo em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

Ao se lembrar de que estava sendo filmado, o chefe do Executivo relatou conversa com o ex-presidente argentino Mauricio Macri e disse que a rivalidade com o país vizinho é "só no futebol".

“Essa frase do presidente do Argentina, que nós viemos da selva. Troquei mensagem por “zap” hoje com o ex-presidente Macri, da Argentina. Não tem nenhum problema entre nós e o povo argentino. Rivalidade com a Argentina, só no futebol”, concluiu.

Ontem, durante coletiva na Casa Rosada, Fernández afirmou que "os mexicanos saíram dos índios, os brasileiros saíram da selva, mas nós, os argentinos, chegamos nos barcos, e eram barcos que vinham da Europa, assim construímos nossa sociedade".

Horas depois, pelo Twitter, o presidente argentino se desculpou: "Afirmou-se mais de uma vez que 'os argentinos descendem de navios'. Na primeira metade do século 20, recebemos mais de 5 milhões de imigrantes que viviam com nossos povos nativos. Nossa diversidade é um orgulho. Eu não quis ofender ninguém, em qualquer caso, peço desde já desculpas a quem se sentiu ofendido ou invisibilizado”, escreveu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE