ASSEMBLEIA-GERAL DA ONU

Aziz lamenta defesa de Bolsonaro ao tratamento precoce na ONU: "Ouviu pitaqueiros"

Presidente da CPI afirmou que Bolsonaro é o único líder do mundo a defender o tratamento sem eficácia comprovada e disse que "só Deus" pode mudar a cabeça do presidente

Raphael Felice
postado em 21/09/2021 13:39 / atualizado em 21/09/2021 13:48
 (crédito: Pedro França/Agência Senado)
(crédito: Pedro França/Agência Senado)

O presidente da Comissão de Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19, Omar Aziz (PSD-AM), criticou o comentário de Jair Bolsonaro em defesa do tratamento precoce durante seu discurso na 76ª Assembleia-Geral das Organização das Nações Unidas nesta terça-feira (21/9). O senador definiu o discurso do presidente como "triste e lamentável".

"Após ver o que ocorreu em Manaus, ver o que a Prevent Senior fez com pacientes, o presidente foi ao órgão mais importante do mundo defender tratamento precoce. O presidente ouviu pitaqueiros, gabinete paralelo, e foi defender o que nenhum líder defende no mundo. Após quase 600 mil mortes baseadas em imunização de rebanho e tratamento precoce, ele faz discurso nesse sentido", apontou.

Em julho, o próprio Ministério da Saúde desaconselhou o chamado "kit covid". Aziz citou na sessão de hoje que o presidente ignorou orientações de diversas autoridades de saúde, e afirmou que "só Deus" pode mudar a cabeça do presidente.

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) rebateu Omar Aziz e disse que presidente defendeu autonomia médica para adotar medidas necessárias. O presidente da CPI, então, ironizou o parlamentar governista.

Nesta terça, a CPI da Covid recebe o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, que presta depoimento para dar esclarecimentos sobre a tentativa de compras de vacinas da Covaxin com o laboratório indiano Barath Biontec e intermédio pela Precisa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE