CPI da Covid

Saiba os motivos da crítica a Luciano Hang por citar Luther King na CPI

Tema gerou polêmica nas redes sociais, tornando-se um dos assuntos mais comentados no Twitter na manhã desta quarta-feira (29/09)

Mracia Maria Cruz - Estado de Minas
postado em 29/09/2021 19:36 / atualizado em 29/09/2021 19:36
 (crédito: TV Senado/Reprodução)
(crédito: TV Senado/Reprodução)

O empresário Luciano Hang, que presta depoimento na CPI da COVID nesta quarta-feira (29/9), citou uma frase atribuída ao líder do Movimento Negro estadunidense pelos direitos civis nos Estados Unidos na década de 1960 Martin Luther King.

Luciano afirmou que não se arrepende de 'ter colocado a cara a tapa' e que se tornou 'a voz de milhões de brasileiros'. Na seguência, citou frase atribuída a Martin Luther King: "O que mais me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons".

De imediato, o tema gerou polêmica nas redes sociais, tornando-se um dos assuntos mais comentados no Twitter na manhã desta quarta-feira (29/9).

A frase citada por Luciano Hang é vista como uma apropriação indevida pelo cientista político Cristiano Rodrigues, professor do Departamento de Ciência Política da Universidade Federal de Minas Gerais (DCP/UFMG).

“Luciano faz mau uso proposital de citação de Martin Luther King. Ao dizer que teme o silêncio dos bons, Hang se coloca não na posição daqueles que têm causado o caos social mas dos que são vítimas desse caos", afirma.

O professor considera a citação um desrespeito à história de Martin Luther King. "Releva o nível de contorcionismo histórico que as pessoas que contribuem ativamente para esse grupo que ocupa o poder faz para parecerem estar fazendo o melhor para a população. Mas todos sabemos que não estão”, afirma o cientista político.

Proprietário da rede de lojas Havan, Luciano foi convocado pela CPI da COVID sob a suspeita fazer parte do 'gabinete paralelo', grupo que aconselharia o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em relação ao enfrentamento à COVID-19.

 

No entanto, o grupo, ao invés de seguir as orientações da ciência, pregavava o negacionismo, defendendo o tratamento precoce com medicamentos com ineficácia comprovada e se colocavam contrárias às medidas como o isolamento social.

 

De onde vem a frase


A frase é atribuída a Martin Luther King (1929-1968) e popularizou-se em citações na internet. Ela faz referência ao trecho de um discurso, 'the ultimate tragedy is not the oppression and cruelty by the bad people but the silence over that by the good people.' Teria sido proferida por Luther King que questionava às leis que permitiam a segregação nos Estados Unidos a partir de uma resistência pacífica.

 Por questionar as leis injustas que permitiam o racismo nos Estados Unidos, Luther King foi preso em Birmingham, Alabama, em 1963, que era considerada uma das cidades mais segracionistas daquele país.

Embora fosse protestante, Martin Luther king foi repreendido por outros religiosos, o que o levou a escrever a "Carta da Prisão de Birmingham”, de 16 de abril de 1963, uma resposta a um grupo de religiosos judeus, protestantes, católicos e episcopais que diziam que a intervenção de Luther King é inoportuna. A frase citada não aparece na carta. No entanto, Luther King faz uma explanação da importância de eticamente se colocar contrário às leis que permitiam segregar.

 Frase semelhante também é atribuída ao filósofo alemão Hidegger: O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE