Desinformação

Bolsonaro mente em live e diz que infecção por covid é mais eficaz que vacinação

O presidente também afirmou que as farmacêuticas não deveriam cobrar para fornecer a terceira dose das vacinas. Ele também voltou a defender tratamento ineficaz contra a covid-19

Israel Medeiros
postado em 30/09/2021 23:20 / atualizado em 30/09/2021 23:21
 (crédito: Reprodução/Facebook)
(crédito: Reprodução/Facebook)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a promover o negacionismo ao dizer que vacinas não são recomendadas para quem já teve covid-19. Na tradicional live de quinta-feira (30/9), ele citou uma matéria do jornal espanhol El País que diz que infectados pela doença podem gerar anticorpos pelo resto da vida.

Ele utilizou a informação para dizer que no caso das pessoas que já tiveram o vírus, “não é recomendado” tomar a vacina, sem citar de onde veio a suposta contraindicação. Essa orientação, no entanto, vai contra tudo aquilo que os órgãos internacionais de saúde recomendam.

O presidente, então, continuou a disseminação de informações falsas e afirmou que a pressão por vacinas em um contexto onde, segundo ele, as pessoas teriam mais imunidade após ter o vírus do que com a vacina, pode ser meramente comercial.

“Quem já contraiu o vírus tem mais anticorpos do que qualquer pessoa que já tenha tomado qualquer vacina. Por que essa pressão por vacina? Será por interesse comercial?”, questionou Bolsonaro.

Ele então disse que as empresas não deveriam cobrar pela dose de reforço das vacinas. “Ora, pessoal, não é o suficiente uma ou duas doses? As empresas não diziam que era assim? Pois, se tem a terceira dose, tem que ser de graça. Não é direito do consumidor?”, questionou ele.

O presidente também tentou levantar dúvidas sobre a eficácia de vacinas, ao afirmar que diversas pessoas famosas que se vacinaram foram a óbito por covid-19 e voltou a defender o chamado tratamento precoce, que é ineficaz contra a doença.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE