CPI da Covid

Marcos do Val é atacado por bolsonaristas por apoiar discurso de Contarato

Eleitos pelo mesmo estado, os dois vem debatendo diferentes pautas. Mas, quando o assunto foi homofobia, os dois andaram lado a lado

Ana Mendonça - Estado de Minas
postado em 01/10/2021 16:38 / atualizado em 01/10/2021 16:41
Senador Marcos do Val (Podemos-ES); senador Marcos Rogério (DEM-RO) e senador Fabiano Contarato (Rede-ES) -  (crédito:  Edilson Rodrigues/Agência Senado)
Senador Marcos do Val (Podemos-ES); senador Marcos Rogério (DEM-RO) e senador Fabiano Contarato (Rede-ES) - (crédito: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

O senador governista Marcos Do Val (Podemos-ES) está sendo alvo de ataques da ala bolsonarista por ter defendido o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) após ele ter sofrido um ataque homofóbico do empresário bolsonarista Otávio Fakhoury.

Eleitos pelo mesmo estado, os dois vem debatendo diferentes pautas e sendo oposição um ao outro desde que foram eleitos em 2018. Na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID, isso não foi diferente.

Do Val é grande defensor de Bolsonaro, mas não agradou os apoiadores do presidente após se posicionar a favor de Contarato. O senador, que faz parte da comunidade LGBTQIA%2b, fez um discurso emocionado na CPI após mostrar uma publicação de Fakhoury que o atacava pela sua sexualidade.

Nas redes, o governista não foi perdoado. “Só me faltava essa o senador Contarato fazendo drama na CPI, virou comédia trágica agora! O senador Marcos do Val está desejando em apoiar quem está do lado dos corruptos”, escreveu uma internauta.


“Marcos do Val já falou ao Contarato que tem vergonha de ter ele como brasileiro por perseguir cristãos em suas ações por ele promovidas? Ou ele só lacra contra patriotas?”, escreveu outro.


A criminalização da homofobia e da transfobia foi permitida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em decisão de junho de 2019. Por 8 votos a 3, os ministros consideraram que atos preconceituosos contra homossexuais e transexuais passariam a ser enquadrados no crime de racismo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE